.

Seguidores

1 de setembro de 2011

>Coisas da roça


Pode parecer repetitivo, mas volto a dizer, nasci na roça, ou no campo, como queiram. Vivo na cidade há muitos anos, e cada dia que passa me surpreendo – motivo de risada – com o desconhecimento da maioria das pessoas da cidade em relação às coisas do campo.

Estou dizendo isso, porque estive de férias e como faço todos os anos viajo para minha terra natal, onde revejo irmãos, parentes e amigos e minha ultima férias não foi diferente. 

Bem, e para mostrar algumas das muitas atividades, resolvi gravar um vídeo em que estou em plena atividade derrubando um pé de banana para colher o cacho em que as bananas já estavam madurando no pé. 

Quando voltei ao trabalho mostrei o referido vídeo para um grupo de amigos, e dentre eles, havia uma moça que pelo jeito deve ter nascido na cidade, pois ao ver a cena da derrubada ficou horrorizada e questionou-me porque eu tinha feito aquilo.

Na hora não entendi muito bem sua postura, ela disse que derrubar o pé de banana era um absurdo, onde já se viu para colher uma fruta ter que derrubar o pé.  Aquilo precisava ser evitado; senti nela “uma verdadeira defensora” do meio ambiente.

Expliquei que na maioria das vezes é necessário devido à altura da bananeira (prata) que o homem não consegue alcançar e, para isso necessita derrubar o tronco. Não importa a qualidade da bananeira, o tronco e as folhas servem como alimento do gado e é uma excelente proteção do solo.

Imagens/ J Araújo
Ela insistia que aquilo não era necessário, o certo era colher preservando a arvore para futuras colheitas. Mal sabia ela, que certas espécies de frutas dão apenas uma em cada pé e a bananeira o abacaxi é um exemplo. 

Como podemos ver grande parte do povo da cidade consome os alimentos e mal sabe como são produzidos no campo. Conheço muitas pessoas que não conhecem um arrozal e tantas crianças e adolescentes que tomam leite e imagina que ele fabricado na caixinha longa vida e, não da vaca que o produzem.

Isso mostra a importância de cada um em seu ambiente; se possível procurar conhecer melhor os produtos da terra, principalmente os alimentos, isso pode ajudar a valorizar e respeitar o produtor rural.

12 comentários:

  1. Olá meu amigo, este relato é real, meu filho, quando foi comigo de férias para Itabira-MG ele ficou com medo de galinha, pois não a conhecia solta e correndo.Mas explica para sua colega, que bananeira que deu cacho já era, vira adubo,como diz o ditado das Gerais.Mas é muito importante,que ela manifeste sua defesa do verde.Mas diga para ela, que aquele umbigo do cacho de banana tambem é uma tipica iguaria de nossa gastronomia, que fica parecido com palmito.
    Muito bom estar de frente para a natureza.
    Um abraço e bom fim de semana na paz.
    Apesar da cidade grande,rsrs

    ResponderExcluir
  2. Por um verdadeiro respeito as coisas da terra ou, no mínimo, para não falar bobagem, né não?

    Um bom dia para você.

    ResponderExcluir
  3. Eu nasci no interior e não sabia que tinha que derrubar a bananeira pra colher a banana. Agora sei que ela brota de novo neh?
    legal.
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  4. retribuindo sua visita em meu parole..
    eu nasci e fui criada em sampa e muitas coisas do campo eu desconheço até hj..
    sempre é boom estarmos atentos a tudo, porque todo dia aprendemos alguma coisa..

    bjs.Sol

    ResponderExcluir
  5. Prezado amigo
    Vim agradecer a sua presença lá no meu recanto. Muito Obrigado!
    Hoje eu vim pensando um pouquinho em meu sonho
    por favor clique no Link

    http://www.mariaalicecerqueira.com/2011/08/prezado-amigo-leitor-e-seguidor-me.html

    Muito obrigado de coração

    abraço amigo
    atenciosamente
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  6. Sempre retorno...Aqui mora a inspiração, então venho levar comigo particulas dela.Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Eu também não sabia disso, marquei teu post como "engraçado" e "informativo".

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  8. Poster informativo, adorei!!!
    Amei as fotos, adoro paisagens e amo a natureza!!!Parabéns pelo Blog!

    Fiquei feliz com sua visita ao Blog Luz, volte quantas vezes quiser!!!Seja Bem Vindo!

    Paz e Luz!!!

    ResponderExcluir
  9. Verdade!
    As pessoas vivem muito alheias a tudo que as liga à terra, talvez por isso, cada dia mais superficiais e robóticas em relação ao consumismo desenfreado.... se eu pudesse vivia na roça sem pensar 2 vezes. Nasci no interior de Minas e amo a natureza. Sem ela e as montanhas morrro de saudades!
    Beijos e boa noite!
    Carla
    :D

    ResponderExcluir
  10. J.,
    Que bom que vc me visitou e deixou o seu rastro, só assim pude conhecer essa beleza de lugar que é o seu blog.
    Ainda não vou tecer comentários. merece uma visita mais demorada, para apreciar cada detalhe...
    Eu, que (in)felizmente tenho ninho de passarinhos na minha sala, onde se reproduzem há três anos, agora posso conviver com a natureza nessa espaço virtual. É o preço das cidades grande, que temos que pagar.
    Belíssimo trabalho!!!
    Com certeza, estarei sempre por aqui.
    Muitos beijos

    ResponderExcluir
  11. Sempre é bom uma postagem como esta para ir esclarecendo aqueles que não conhecem as coisas do campo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    vim retribuir sua visita no meu cantinho, e claro, passear um pouquinho, pq postagens como essa são deliciosas de ler! Sinceramente, não consigo entender o motivo que leva uma pessoa que nasceu no interior sonhar com "cidade grande"... Já eu, que nasci na cidade grande, sempre sonhei em morar no meio do mato. MG é tudo de bom! =) E esses "aprendizados" são maravilhosos também! Papai também nasceu e cresceu em sítio, e eu sempre adorei ouvir as histórias dele... o conhecimento mesmo... a "cultura popular", que nas cidades grandes não se valoriza muito! Super beijo e bom domingo!

    ResponderExcluir

Comentários ofensivos ou considerados preconceituosos não serão publicados. Este espaço presa pelo respeito às diversidades, porém se mantém o direito de publicar ou não opiniões que venham a ofender a honra de qualquer pessoa que seja. De acordo com interpretações legais o administrador desse blog responde solidariamente pelos comentários aqui publicados.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pedágios: Calcule e viaje!