.


21 de dezembro de 2012

>Casa de Gonzaga

Imagens/J Araújo


Que diversas que são, Marília, as horas,
Que passo na masmorra imunda e feia,
Dessas horas felizes, já passadas
Na tua pátria Aldeia!


Marilia de Dirceu
Lira XXI verso I
Tomaz Antonio Gonzaga


16 de dezembro de 2012

>A velha figueira

Imagem/J Araújo
Essa velha figueira que antes vivia rodeada de muito verde, na verdade, era a única que  destacava no pasto que existia ao seu redor. No local vacas e bois pastavam e, depois de saciar a fome descansavam em sua sombra, mas  nem tudo nessa vida dura para sempre,  um dia, o progresso chegou, onde era pasto ontem hoje é  um grande Shopping Center, antes em sua sombra onde  deitavam vacas, hoje são  os carros que estacionam.

Antes os cipós que abraçavam seus galhos deram lugar aos fios e cabos elétricos. Hoje  a mesma é abraçada por esses fios para que o local a noite possa ser iluminado, antes as marcas que ficavam era dos ruminantes, hoje as marcas que ficam são dos carros possantes que repousam em sua sombra. Fico imaginando, se aquela figueira pudesse se manifestar o que diria de toda essa transformação que fizeram ao seu redor, ainda bem que deixaram a mesma viver mesmo que sufocada em respeito à lei que a protege.

 Hoje, vive solitária, tendo como companhia um monstro de concreto bem a sua frente dia e noite. Os pássaros que alimentavam de seus frutos com a chegada do empreendimento fugiram para outras paragens até que o homem consiga um dia também chegar lá. Enquanto isso a velha figueira continua solitária mesmo que centenas de pessoas passem por ela todos os dias sem ao menos conhecer sua verdadeira historia.  
Compare as duas fotos
Voltei para visitar a velha figueira, moro bem perto, sofreu com a chuva de granizo que castigou a pobre coitada em uma tarde de muito calor. Suas folhas frondosas foram derrubadas e cobriram a sua volta, deixando as pessoa que passavam curiosa, é como se a mesma estivesse despida em pleno estacionamento do shopping.
(a) J Araújo 

7 de dezembro de 2012

>Revolta dos marimbondos

Você já ouviu falar em marimbondo cavalo? “Tidos como inimigos devido as suas ferroadas doloridas e combatidos com fogo e inseticidas, os marimbondos também tem seu lado bom”. São predadores de vários insetos nocivos como cupins, aranhas, formigas, gafanhotos e mosquitos, entre eles o Aedes aegypti  transmissor da dengue.

Então, é bastante útil preserva-los, mas quando a população desse bicho aumenta muito é necessário fazer o controle para que não se torne perigosa à convivência  Ao contrario das abelhas, não deixam o ferrão no lugar da picada. Os efeitos locais e sistêmicos do veneno são semelhantes aos das abelhas, porém menos intensos, e podem necessitar esquemas terapêuticos idênticos".

Assim como as pessoas, os seres vivos também têm seu dia de revolta e os marimbondos não são diferentes.  Quando incomodados ‘vira o bicho’ e atacam ao se sentirem ameaçados. Uma amiga nossa, de trabalho, resolveu fazer uma incursão, eu disse incursão e não excursão, para inspecionar um vazamento de água que existia no terreno onde existem várias repartições públicas, e os encanamentos externos está em péssimas condições.

Ao passar em baixo de um pé de goiaba foi repreendida energicamente pela colônia de marimbondo que resolveram construir a casa naquela arvore. Inclusive, esse tipo de marimbondo gosta muito dessa fruta quando madura.  Ao saber da história, contada pela própria vitima, e do jeito que era contada, não sabia se dizia: que pena! 


Ou se dava risada, acabei fazendo as duas coisas. Quando mostrou a quantidade de picadas que havia levado, juro que no momento fiquei com dó. O braço esquerdo da mesma estava com manchas vermelhas enormes devido às picadas que havia levado.


Em relação ao ser humano, os marimbondos, as abelhas e outros tantos insetos são seres minúsculos, porém, isso não significa que esses insetos vão se intimidar com o tamanho das pessoas, muitas vezes não, sempre que alguém cruza seu caminho, os bichinhos as colocam pra correr, e olha se não te ‘mandar’ para um hospital.


Ela disse que estava caminhando entre as arvores e de repente, sem perceber, esbarrou em uma casa de marimbondos que não deixaram barato a tal invasão e, partiram para o ataque. E nessa conversa despretensiosa soube mais, não era um marimbondo qualquer não, era o famoso “marimbondo cavalo”, uma espécie que não tem muitos em sua moradia, mas sua picada é bastante dolorida.


O que me chamou a atenção, como eu disse no inicio do texto é o tamanho das machas vermelhas na pele, se não fosse marcas do ferrão deixadas, eu diria que está mais pra coice de burro do que picada de marimbondo cavalo. Mas como ela é uma excelente pessoa estou com pena ‘da chefe’.

(a) J Araújo

1 de dezembro de 2012

>Fotos das serras de minas = Araponga - MG

Pico do Matipozinho, 1.830mts
Linha de ônibus que faz o transporte de passageiros da região dos Estouros, passando pela Vila Estevão de Araújo até o Pico do Boné, não sem antes passar por várias comunidades rurais. Essa linha de ônibus parte todos os dias de segunda a sexta-feira, as 07:00 da manhã do Pico do Boné e as 08:00 da Lage do Estouro, na Comunidade dos Paulas, retornando de Araponga as 14:00 horas.
Grupo Escolar
Prefeitura Municipal
Igreja do Distrito Estevão de Araújo 
Distrito de Estevão de Araújo - MG

Igreja em dia de missa
Praça em frente a Igreja , mostrada (abaixo) Rua Irmãos Araújo.
Rua Irmãos Araújo no Distrito que fica a uma distancia de 10 km de Araponga
Casa da Cultura em Araponga
Pedra redonda no caminho para o Distrito de Estevão de Araújo
Visão da região do Estouros do vista do alto da serra de Araponga
 Pico do Boné avistado da região do Estouros
Cachoeira na região do Estouros, sitio de Geraldo Batista



Aqui sede da Antiga Fazenda do Brigadeiro
Veja um vídeo

(a) J Araújo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...