.


24 de agosto de 2013

>Contemplando o por do sol

De férias resolvi eu mais dois amigos ir passar uns dias no sítio às margens do complexo de represa do Rio Grande na Região de Mira Estrela, SP. Ficamos uma semana, sozinhos, eu pilotando o fogão, mas também pescando. E vi como é bom poder apreciar o por do sol. Acredito que somos privilegiados em viver em um País cheio de belezas naturais. E, ao olhar este espetáculo da natureza, o que nos restam é agradecer a Deus por tudo isso. Nós como seres humanos imperfeitos, que somos, procuremos nos aperfeiçoar diante da presença do Criador e agradecer cada dia de vida que ele nos proporciona. E não esqueçamos que mesmo aqueles, acreditando ou não no Criador o sol nasce e se põe para todos sem distinção. 

(a) J Araújo

16 de agosto de 2013

>A belina e as bananas

Ha alguns dias atrás dei boas risadas em um bate papo com uma sobrinha. Ela estava me contado de uma longa viagem, mais de 700 quilômetros, que fizera juntamente com o marido, sogro, cunhado e outros tudo isso em uma velha Belina cheia de furos no assoalho para chegar nas serras de minas. Essa viagem começou na região de Franca no estado de São Paulo.  Do jeito que ela conta não tem quem não dê boas risadas. Quando entraram em trechos de estradas de terra era aquele sufoco, pois a poeira invadia o interior do veículo sujando todos os seus ocupantes. A Belina era o “personagem principal” pelo seu estado de conservação, quem olhava, pela aparência, achava que aquele veículo não saia do lugar. Mas, pelo visto o motor estava em excelentes condições. Com as roupas vermelhas de poeira, quando desembarcaram todos estavam mais parecidos com trabalhadores rurais do que viajantes narizes olhos e cabelos era poeira em cada poro. 

A Belina era o “personagem principal” pelo seu estado de conservação, quem olhava, pela aparência, achava que aquele veículo não saia do lugar. Mas, pelo visto o motor estava em excelentes condições. Com as roupas vermelhas de poeira, quando desembarcaram todos estavam mais parecidos com trabalhadores rurais do que viajantes narizes olhos e cabelos era poeira em cada poro.

Depois de um bom banho era hora de aproveitar bem a viagem. Na volta, seu sogro empolgado com a fartura e, aproveitando a bondade do meu irmão que resolveu presenteá-los com vários cachos de bananas.  O visitante que era o chefe resolveu trazer de tudo um pouco. Diz que meu irmão saia pelo meio da propriedade e logo aparecia com um belo cacho de bananas e dizia se o fulano gostaria de trazer o mesmo pra cidade.  Claro, ele aceitava. Aparecia com outro mais bonito ainda ele aceitava também. Abobora mandioca e tudo que aparecia era amarrado no bagageiro da referida Belina, e olha que tudo isso sem nenhuma lona para cobrir.

Encheram o tanque de combustível da dita cuja e pegaram a estrada de volta, mais setecentos quilômetros percorridos, até chegar ao destino. Diz que por onde passava nas cidades e rodovias essa Belina chamava a atenção das pessoas pela carga inusitada. O filho sempre alertando o pai para parar em um posto e providenciar o abastecimento dizendo que o combustível do tanque não daria para completar a viagem, mas o pai insistia que não havia necessidade, até que parou de vez em um lugar quase que deserto. Lá vai o filho pedir carona para quem parasse para buscar petróleo em algum posto.  Enquanto isso a (BB) belina de banana ficou parada no acostamento enquanto seus ocupantes do lado de fora via o vai e vem de veículos. E ela, claro, era a atração da rodovia.

No mínimo teve gente que pensou assim: Coitada dessa família! Resolveu mudar pra cidade mais não se esqueceram de trazer um pouco da produção.
(a) J Araújo

5 de agosto de 2013

>Vida de blogueiro

Neste caso não é minha profissão, (a imagem ao lado é apenas ilustrativa) escrever pra mim é apenas uma maneira de poder compartilhar com outras pessoas aprendizado e conhecimento ao mesmo tempo. Sei também que ser blogueiro e levar o assunto a sério não é nada fácil. A vida de blogueiro, que leva a sério o que faz é colocar, na maioria das vezes, seu ponto de vista sobre os assuntos que mais lhe chama a atenção. Mas, o mundo da blogosfera é cruel com aqueles que não têm muito tempo de ficar fazendo visitas a outros blogs. Por mais que o assunto seja interessante, as postagens não geram os comentários que muitas vezes esperamos, já não espero mais, às vezes não gera nenhum interesse nas pessoas em fazer comentários. Quero deixar bem claro aos leitores que por ventura passem por aqui que não estou implorando que o façam, estou  apenas expondo um ponto de vista muito particular meu. O que me levou a relembrar o assunto foi uma postagem que escrevi há algum tempo. Continue lendo...
(a) J Araújo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...