.


30 de novembro de 2013

>Um povo alegre e descontraído que faz piada de tudo

Não sei se isso acontece somente no Brasil, como vivemos aqui podemos sentir na pele o que é ter um bando de governantes e políticos corruptos. Mas, o povo brasileiro, também como se sabe é um povo divertido, alegre, descontraído e pacato. Acredito que pacato até demais. Chegando ao ponto de fazer piada até com a própria desgraça que acontece, às vezes, na própria vida.

E essa estória a seguir foi produzida quando ocorreu a morte do ex-presidente da República, Itamar Franco, (1930-2011) que governou o país de 1992 a 1995, substituindo Fernando Collor de Mello, cassado no primeiro impeachment ocorrido em toda a história do Brasil República.

Tudo pronto para as despedidas de praxe, o caixão ali aberto. E político como sabemos, adora aparecer na mídia, não perde a oportunidade de sair na foto, desde que não seja para dar satisfação quando aprontam suas falcatruas. O ex-presidente finalmente é sepultado e logo surge a primeira piada a seu respeito.

Diz que Itamar chegando ao céu parecia todo orgulhoso. O apostolo  Pedro vendo aquela cara de felicidade do mesmo foi logo questionando.
- Porque essa cara de felicidade, você nem sabe se vai ficar aqui?
E Itamar respondeu:

-  Pedro, meu caro Pedro, acabei de superar o Mestre Jesus.
E Pedro surpreso quer saber como isso aconteceu, até porque conheceu e andou com Jesus participando de seu Ministério quando viveu e morreu crucificado aqui na terra.

- E como foi essa superação, Itamar?
E Itamar, passa a mão no seu topete inconfundível e responde:
- Ora meu caro Pedro, quando Jesus morreu na cruz, havia dois ladrões ao seu lado dele...

- Agora, olha aqui na foto do meu funeral...
Imagem da web

23 de novembro de 2013

>Entre morrer e perder a vida tem uma escolha, qual você prefere?

Por mais que a morte seja a única certeza que temos em vida nem todo mundo pensa a mesma coisa. Se alguém te perguntar do que você tem medo provavelmente sua resposta vai ser diferente de outras pessoas que vai responder a mesma pergunta. Entre morrer e perder a vida tem existe apenas uma escolha, qual você prefere? Isto é, vamos ter dezenas de respostas diferentes, nem todo mundo tem medo das mesmas coisas.  Alguns têm medo de morrer. Outros têm medo de ficar pobres, essa resposta claro, só vale para os ricos. Particularmente, não tenho medo da morte.  Mas tenho medo de perder a vida depois de ouvir esse homem do campo.
E você?

(a) J Araújo

15 de novembro de 2013

>O morto que não tinha morrido

Distrito de Estêvão Araújo - MG
A pessoa que me contou jura de pés juntos que a história é verdadeira e aconteceu em uma pequeno distrito de nome Estevão Araújo, no município de Araponga, esse distrito foi fundado pelos meus antepassados. Esta não foi a primeira vez que ouvi a mesma história.  Hoje a pessoa que recontou a mesma tem setenta e dois anos de idade, na época era apenas um jovem de pouco mais de dez anos.

Há muitos anos tenho uma certa rotina que ao mesmo tempo não é rotina porque aprendo alguma coisa diferente a cada viagem que faço quando chego em minha terra natal. Sempre aprendo alguma coisa quando lá retorno. Ouço um causo ou uma nova história e, desta vez não fugiu à regra. Ouvi a seguinte história de um amigo: existia um senhor de uma certa idade que veio a “falecer de repente”, era um comerciante muito conhecido em toda a região, como de praxe muito choro e lamentação pela grande perda daquele que um dia fez parte da comunidade.

Fizeram o velório e preparam o enterro para o dia seguinte. Caixão fechado, hora das despedidas, ao chegar ao cemitério quando abriram a tampa do mesmo eis a surpresa, o senhor simplesmente levantou a cabeça do travesseiro, esfregou as mãos nos olhos e disse:

- Nossa, como eu dormi, nuca tinha dormido tanto na vida!

Logo percebeu aquela multidão ao seu redor e quis uma explicação convincente para o acontecido. Naturalmente, muita gente saiu dali correndo. Depois de toda a história explicada e a confusão acalmada este senhor viveu ainda por logos anos até o dia que morreu pela segunda vez. A pergunta que não queria calar era: “será que desta vez o homem morreu de verdade? Ficou a dúvida, enterra ou não o defunto! Link do vídeo.

8 de novembro de 2013

>As plantas e suas propriedades medicinais sempre nos surpreende

Imagem J Araújo

Estive em Minas Gerais, no Município de Araponga, mais precisamente em uma região conhecida como Estouros, lá conheci essa arvore - das fotos - que está fazendo o maior sucesso naquela região. 

Quem conhece? Até o momento a única coisa certa é que os moradores estão encantados com ela, (não pela beleza de suas flores) pelas propriedades curativas que a mesma tem apresentado, já arrumaram até um nome para a mesma.

Imagem J Araújo
Estão chamando-a de "Mertiolates". Os moradores da roça estão usando o liquido que sai quando sua folha é retirada do caule, como cicatrizante "curando" ferimentos com uma rapidez impressionante segundo informações.


Estava ansioso em saber que planta é essa através de pesquisadores que pudesse responder com segurança se realmente a mesma tem alguma propriedade terapêutica conhecida da medicina ou se é apenas mais uma daquelas famosas descobertas da medicina popular.

Em contato com o Instituto de Botânica de São Paulo veja a resposta:

Prezado J Araújo

As fotos que você enviou são da jatropha multifida, uma espécie da Euphorbiaceae, a mesma da família da mandioca e da borracha. Essa espécie é nativa do México e America Central, no Brasil é cultivada como planta ornamental.

Desconheço qualquer utilização do látex dessa planta como cicatrizante, que inclusive pode ser irritante para a pele. 

Entretanto a utilização de látex de Euphorbiaceae para extirpar verrugas é mencionada na medicina popular, como no caso da Euphorbia tirucalli, uma espécie também muito cultivada no Brasil.

Atenciosamente

Inês Cordeiro



3 de novembro de 2013

>Exmº. Sr. Secretário de Meio Ambiente do governo do Estado de Minas Gerais


 Carta aberta

 Exmº. Sr. Secretário de Meio Ambiente do governo do 

  Estado de Minas Gerais

Nasci no município de Araponga – MG, mais especificamente na comunidade dos Estouros, vi o inicio da destruição e o renascimento das matas da região do Pico do Boné e também a região do Pico do Matipozinho, mais conhecido como Tromba D’anta.

Há mais de 40 anos deixei a região e moro no Estado de São Paulo, fiquei feliz quando o governo do Estado criou o (PESB), Parque Estadual Serra do Brigadeiro, através do Decreto nº 38.319 de 27 de setembro de 1996, porém o que se vê na sede original da fazendo é o abandono daquela construção, nesses 17 anos de existência do parque nada foi investido para preservação daquela que um dia viveu o apogeu. 

Hoje aquela sede se encontra caindo aos pedaços precisando de um projeto de reforma que ouço falar há mais de uma década, os anos vão passando e até agora nada foi feito. Para que não os responsáveis pelo local diga que não falo a verdade, percebi que a energia elétrica chegou recentemente no local. Só que a população não pode esquecer que no próximo temos eleições, pode ser uma jogada política.

Posso até não ser ouvido, mas pelo menos quero que saiba o quanto o povo daquele entorno e região almeja por melhoras naquele parque. É hora de colocar em pratica os discursos feitos principalmente em época de pedir votos daquele povo.

É uma região que precisa ser preservada, mas também explorada através do turismo rural, a população do entorno, com certeza só tem a ganhar com o desenvolvimento sustentável daquela região gerando renda para aquele povo. Todos os meus irmãos moram ainda lá. Tento através da divulgação do lugar atrair pessoas para conhecer, mas do jeito que está é desanimador e olha que não sou somente eu que pensa assim. Espero um dia poder ver aquela obra sair do papel, digo isso porque vi um esboço do projeto. Veja o vídeo.

Este post foi publicado no Facebook oficial do Governo do Estado de Minas Gerais

Atenciosamente,

J Araújo 



                                                                                     

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...