.


31 de janeiro de 2015

>Vi muitas belezas naturais, mas, vi também...

Imagem: Arquivo pessoal
Durante alguns dias de férias descobri o quanto ainda precisamos conhecer um pouco mais da natureza e sua complexidade e, aprender a respeitar um pouco mais o meio ambiente.  A maior parte dos dias em que estive em contato direto com a natureza, pude ver de perto com o cantar dos pássaros em uma bela sinfonia ao amanhecer.

Senti o cheiro da floresta, o que há tempos não acontecia. A natureza é perfeita e quando observada com mais atenção continua a nos surpreender a cada momento. Vi as belezas naturais, mas, vi também o desrespeito com que o homem trata o meio onde vive.

Vi rios poluídos, com lixo em suas margens, onde não deveria estar, (garrafas pets, sofás, camas, e tudo mais que se possa imaginar jogados em seus leitos), mas vi também pequenos riachos correndo com suas águas cristalinas entre o que restou da Mata Atlântica, com raros momentos de pura beleza que só mesmo as mãos de Deus podia ter criado tudo isso. Contemplando os detalhes de pequenas coisas refleti sobre todas as maravilhas criadas por ele. Diante de tudo isso é preciso que o homem reconheça como somos ínfimos diante da grandeza de Deus.
(a) J Araújo

21 de janeiro de 2015

> Brasileiro é executado na Indonésia

O brasileiro Marco Archer, 53 anos, foi executado como estava previsto, no ultimo sábado, 17 de janeiro na Indonésia.  Condenado a pena de morte o mesmo estava preso desde 2005. Se fosse no Brasil, provavelmente o mesmo já estaria solto, mas lá as leis são cumpridas ao pé da letra. Hoje sou contra a pena de morte, já fui favorável. Assim como a Presidente Dilma Rousseff, muitas pessoas e entidades de Direitos Humanos se manifestaram contra a medida tomada pelo governo indonésio, porém nenhuma delas demoveu a decisão já tomada. Foi uma decisão de governo e isso não se discute. Nenhum país pôde interferir nas leis internas de outro país.

Uma vida foi tirada, isso também não se discute. Mas, no Brasil morrem muito mais gente do que as execuções na Indonésia durante o ano inteiro. Aqui, várias vidas são ceifadas por dia em várias partes do país decretadas por traficantes que fazem suas próprias ‘leis’. Pra isso não podemos fechar os olhos.  Jovens são mortos diariamente por envolvimento com o tráfico de drogas que está em cada esquina, enquanto as autoridades fazem de conta  que não sabem de nada.

Os traficantes mandam e desmandam. As leis brasileiras são brandas e com isso, os criminosos conta, na maioria das vezes, com a impunidade. Bem diferente da Indonésia. Como uma pessoa culta que era, Marco devia saber dos ricos que corria ao tentar entrar naquele país com mais de treze quilos de cocaína aproveitando a oportunidade, como praticante de voo livre, recheou os tubos da asa delta para transportar a droga. Sabendo de antemão, com certeza, de que se fosse pego e foi, estaria sujeito a pena capital.

O ex-consul do Brasil em Bali Renato Vianna explicou que Archer e os demais condenados à morte seriam transferidos para um lugar próximos à penitenciaria e depois fuzilados. Questionado sobre outros brasileiros anteriormente condenados pelo mesmo motivo na Indonésia e que conseguiram se livrar da pena de morte, Vianna destacou que, no período, as penas não eram tão rígidas com relação às drogas. Explicou ainda que a legislação foi mudada há uns 15 anos.

"A indonésia é um país tranquilo, bem aberto, mas eles são muito restritos com relação às drogas. “Se a pessoa for pega com um cigarro de maconha, ela vai ser presa e está arriscada a passar até oito anos na cadeia”, afirmou. Ele acrescentou que há 138 pessoas para serem executadas – metade são estrangeiras. As leis da Indonésia contra crimes relacionados a drogas e são entre as mais rígidas do mundo e conta com o apoio da população. “Com isso (as execuções), mandamos uma mensagem clara para os traficantes” relatou à imprensa local Muhammade Prasetyio, procurador-geral da Indonésia. Além de Marco Archer, outro brasileiro aguarda no corredor da morte da Indonésia, o paranaense Rodrigo Muxfeldt Gularte, também por tráfico de cocaína".

(a) J Araújo

4 de janeiro de 2015

>Que nossas esperanças possa se renovar

O ano já não é tão novo assim.  O ano que terminou 2014 foi cheio de acontecimentos nada agradáveis. Tivemos escândalos e mais escândalos envolvendo pessoas acima de qualquer suspeita. O ultimo da lista foi o caso Petrobrás, uma das maiores e mais importantes empresa brasileira.

Tivemos uma eleição presidencial tumultuada. Um dos candidatos, Eduardo Campos (PSB) perdeu a vida em um acidente aéreo na cidade de Santos, SP em plena campanha. Foi substituído pela ex-senadora Marina Silva, concorrendo com Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), e outros nomes sem expressão no cenário político. A candidata do governo, mesmo diante de tantas denúncias envolvendo membros do partido conseguiu se reeleger.

Mesmo diante de tudo isso, que nossas esperanças possa se renovar independente dos governantes que esteja no poder, infelizmente, pois deles não podemos esperar muita coisa, gostaríamos apenas que os mesmos tratassem a coisa pública como pertencente que é a toda sociedade e não como bens particulares. É o mínimo que esperamos!!

(a) J Araújo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...