.


29 de abril de 2016

>Pedras que matam

Imagem/web

Estava pensando em uma pauta para a postagem de hoje.  Mas, não era qualquer pauta! Queria falar de coisas boas ficavam cada vez mais difíceis coisas boas são poucas, mas de coisas ruins o mundo está cheio e a droga é uma delas. Penso daqui, penso dali, resolvi discorrer sobre a vida das pessoas que se envolvem com a dita cuja.  Tem um ditado que diz: “se penso logo existo”. Este é o principio fundamental de toda certeza racionalista.

Para chegar ao ‘penso, logo existo’, Descartes utilizou-se da dúvida radical ou hiperbólica. Eu digo se existo logo penso. Se assim é devo escrever o que penso, e foi pensando que percebi de novo que a vida é o melhor de tudo que temos e destruir a mesma é o que muitos estão fazendo, principalmente, através das drogas. Estou dizendo isso pelos últimos acontecimentos. Tenho assistido a várias reportagens e lido outras tantas matérias que falam da destruição que as drogas fazem, sejam elas licitas ou não.

Famílias inteiras são destruídas por causa desse mal do século XX.  No Brasil, e em vários países. Entre todas as drogas (ler mais) o crack é o que está matando com mais rapidez. Ele é uma mistura de cloridrato de cocaína (cocaína em pó), bicarbonato de sódio ou amônia e água destilada, que resulta em pequeninos grãos, fumados em cachimbos (improvisados ou não). Isso quando os traficantes na ânsia de faturar cada vez mais não mistura veneno de rato, pó de mármore e outras tantas misturas.

É mais barato que a cocaína, mas, como seu efeito dura muito pouco, acaba sendo usado em maiores quantidades, o que torna o vício muito caro, pois seu consumo passa a ser maior. Estimulantes seis vezes mais potente que a cocaína, o crack provoca dependência física e leva à morte por sua ação fulminante sobre o sistema nervoso central e cardíaco.

As drogas estão matando centenas de pessoas que se aventura a consumi-las. Somente para exemplificar, as drogas direta ou indiretamente têm levado a morte grandes personalidades artísticas e outros tantos anônimos em várias partes do mundo. E, uma dessas personalidades foi a cantora americana Whitney Houston. 

Estou dizendo isso pelos últimos acontecimentos, tenho lido vários artigos a respeito do assunto e vi hoje em um canal de TV o desespero de uma mãe contando que seu filho está preso em uma penitenciaria por envolvimento com as drogas. Claro, não está preso pelo uso, mas sim por prática de roubo para sustentar o vício que tinha. Ao se envolver com o crack foi a gota d’água.

Diz ela: “... muitas vezes fui ameaçada por ele para lhe dar dinheiro”. Antes, o crack era considerado a droga do morro, hoje ele desceu e invadiu o asfalto provocando um efeito devastador, infelizmente está fora de controle. Na verdade os usuários, ou consumidores, como queira, estão sendo consumidos por ele. Muitos ainda acham que são felizes. Este  texto, por mais antigo que possa parecer e é, continua sempre atual, achei pertinente e resolvi republicá-lo. 

  1. Boa noite Araujo,

    Não se voce sabe mas a droga também tem qualidade: a boa, e a genérica. A boa é cocaína pura, alguns estudantes de medicina usam, alguns médicos também, isso na área de saude.

    Agora a genérica é uma mistureba de outros venenos, entre eles a soda caustica em pó.

    A droga mata por si só, e também indiretamente. Uma mulher drogada se deixa possuir por qualquer cidadão, e depois de adquirir uma DST lascada, continua transmitindo porque está revoltada.

    Isso é uma coisa séria e real, acontece bem debaixo de nossos olhos e nada podemos fazer.

    Mesmo porque se denunciar uma criatura dessas, sem noção, pode ter certeza que haverá represália.

    Conheço uma moça, portadora de DST, jovem e bonita, e ela mesma faz o tratamento do jeito dela: INJETA COM SERINGA DE 10 ML, "cloro" ou "água sanitária" via vaginal.

    Relata ainda que não faz uso de preservativos em suas relações sexuais, porque estando doente pouco importa o que acontecerá com seus parceiros.

    Isso não é gritantemente triste????

    Que eu faço com uma noticia dessa??

    Dificil não é: delatar e como provar se não foi eu quem a viu fazendo o tratamento caseiro.

    abraços.
    ResponderExcluir
  2. E passei pelo mundo das drogas, me viciei de forma pesada, quase morri por conta disso.

    A droga te faz viver muitas coisas bizarras, muitos sentimentos estranhos, mais parece que você está decendo rio abaixo dentro de um bote desgovernado.

    A minha licão é que é muito fácil entrar para as drogas e muito difícil sair dela e lidar com a destruição que ela causa na sua vida.

    Beijocas
    ResponderExcluir
  3. Oi,vim agradecer sua visita e o espero por lá mais vezes.Com mais comentários e ficaria feliz em vê-lo dentre meus seguidores.
    Nossa, a droga é uma droga e pior, fico muito preocupada como mãe, como mostrar a filhota que isto pode chegar até sua mão e como não deixar influenciar por ela.
    Um beijo.
    ResponderExcluir
  4. O nosso comprometimento com a droga é infinitamente pequeno diante da grandiosa barbárie que a mesma provoca na destruição de lares e das pessoas de uma família. Preocupa-me a gestação das pessoas, onde tudo é encapsulado e um dia explode ou por falta ou por excessos nas mais diversar formas agressivas, sendo a droga, uma delas! Essaé uma reflexão para muitos debates e ações na prática.
    Abraço, Célia.
    ResponderExcluir
  5. Sabe meu amigo
    infelizmente a droga é o mal
    maior a atingir de forma ilimitada
    toda uma geração nesse mundo cão cheios de questões e sem razão...
    Mas o que fica a saber é o que leva essas criaturas a um suicídio indireto?
    Está nas raízes, no que ficou lá atrás sem reparos...
    O desamor levando senhores a fuga
    por não darem conta da propria dor.
    É tudo tão lamentável a não se saber se isto um dia terá fim...

    Gostei do teu trocadilho sobre a frase do Descartes, muito bom

    Saudades de tu meu amigo

    Feliz domingo

    Bjs

    Livinha
    ResponderExcluir
  6. Pode não ser questão de orgulho,mas me sinto assim, ou até mesmo agradeço à sorte, pelo fato de nunca ter usado drogas. Mas eu bebo, gosto de uma bebida alcoólica. Consigo lidar com isso. Mas drogas são o flagelo humano, nos dias atuais. Na periferia, então nem se fala...Qual a expectativa de vida? Morrer ainda adolescente, devido ao acerto de contas.
    ResponderExcluir
  7. Muito fácil entrar para o mundo das drogas, ela está para todo lado. A melhor prevenção ainda é a comunicação. Os pais precisam estar melhor preparados para conversar com os filhos sobre esse assunto. Muitos deixam para lá e só censuram. Crianças e adolescentes com pais "fechados" são mais propícios a adotar o vício, pois tudo que é censura acaba sendo um tipo de desafio inconsciente.
    Abordar esse assunto é sempre necessário! Muitos jovens estão acessando a web nesse momento questionando as drogas. Um texto franco e sem preconceito, cativa o jovem e ajuda na prevenção.
    Bom fim de semana!
    Beijus,
    ResponderExcluir
  8. Caro amigo.

    Acredito que enquanto
    a Educação não for
    colocada a serviço
    do útil,
    veremos a vida se perder
    no vício das drogas,
    do individualismo,
    do desamor
    e da falta de sentido
    para viver
    e inspirar vidas.


    Que sempre existam
    sonhos a habitar teu coração.
    ResponderExcluir
  9. Obrigada pela vixita no meu seul gostei do seu e vou me tornar uma visita fixa rrsrsbjs
    ResponderExcluir

22 de abril de 2016

>A oração que não fiz

Imagem:web
Pastor em São Carlos; recebi a ligação de uma jovem para que fosse visitá-la em sua residência. Ela alegava ter problemas de mobilidade. Lá chegando, confesso, tive meu estômago embrulhado. Não tenho dom para enfermeiro e nem cirurgião. Ela tinha um afundamento craniano que me pareceu que lhe faltava metade do cérebro, com o consequente problema de paralisia acentuada em um dos lados do corpo.

Ela me recebeu com sorriso e alegria contagiantes. Para disfarçar meu embaraço, puxei da algibeira meu lado humorístico e tivemos uma excelente conversa. Ela me disse que queria frequentar a igreja. Afirmei que providenciaria para que isto acontecesse. Havia na igreja um jovem com o dom de serviço, forte e alto que, tendo carro, poderia fazer o trabalho. Acertei com ele e no domingo ele entrou com ela, carregada.

Assim aconteceu nas vezes seguintes.
Um dia fui visitá-la e ela me pediu que orasse pedindo que Deus desse a ela um marido: ela queria casar-se! Fiquei pasmo e não sei se consegui disfarçar o meu espanto, pois considerava o pedido impossível. Na saída orei por ela e não mencionei na oração o seu pedido de um marido. Terminada a oração ela me disse: “pastor, o senhor não pediu o marido para mim”. Sem graça e sem jeito, e de maneira um tanto irônica, disse: “Oh! Deus! Arruma um marido para ela!” Não era uma oração, era uma evasiva, quase uma piada!

Sai de São Carlos e morei fora do país. Alguns anos mais tarde me contaram a história dela. Um amigo do pai que morava a uns 200 km de distância veio visitá-lo e pediu a um jovem da igreja que fosse dirigindo o carro para ele. Ele conheceu a Izilda, conversaram animadamente pelo tempo em que o amigo lá esteve. Alguns dias depois ele voltou à casa sozinho e pediu ao pai que queria casar-se com ela. O pai lhe expôs as dificuldades e o que significaria casar-se com uma mulher com tal grau de deficiência. Ele insistiu e prometeu que cuidaria dela com todo o carinho. Diante da determinação do jovem e do sonho da filha, o casamento foi permitido.

Casaram-se, mudaram para a cidade em que ele morava. Soube que ele cuidou dela como princesa até o dia da sua morte e que eles tiveram uma filha. Perdi o contato com a família dela e nunca soube quem foi o marido, qual seu nome ou de onde era. Talvez nunca tenha sabido por que anjo não precisa de nome e endereço para atuar. Não sei onde mora a filha (ou filho, não tenho certeza!). Mas desta história sobraram algumas certezas para mim.

Quando soube do que havia acontecido, pensei: Deus responde até oração que não fazemos. Engano meu: achei que Deus tinha respondido a uma oração que não tinha feito. Hoje vejo as coisas de forma diferente. Deus tem uma predileção toda especial pelas viúvas, órfãos, deficientes! Deus não respondeu à minha oração não feita, antes à suplica dela. Ele deu um marido a ela no que pese a minha descrença.

De uma coisa sei e o sei por dura experiência: Deus pode responder até mesmo as orações não feitas! Deus pode fazer aquilo que é impossível! Deus pode dar um marido e uma filha a quem eu nunca teria dado!
É a graça de Deus!

Marcos Inhauser

15 de abril de 2016

>Como produzir cocos salgados 2ª parte

Arquivo pessoal
Como prometido estou voltando ao assunto que comecei na postagem anterior,  quando falei das pessoas que plantavam coco. Mas não era uma plantação qualquer. Usava muito sal na cova, isso mesmo sal. Você não leu errado não! O sal era usado porque alguém no passado dizia que para o coqueiro produzir coco, com água salgada, precisava usar muito sal. Isso se tornou tradição no meio do povo daquela região. E quando alguém resolvia plantar alguns pés de coco compravam várias sacas de sal.

E não era qualquer sal. O sal de preferência era o sal grosso. Recomendava-se que após o nascimento da planta continuasse a cavar ao redor do pé e colocasse mais sal. Que esse ritual devia ser para sempre enquanto a planta existisse. Caso contrário não fizesse, a planta passaria a produzir frutos sem nenhum sabor.

Com certeza eles nunca questionaram aquele método. Sabe por quê? Tinha vindo de seus antepassados e era digno de toda confiança. Mas um dia alguém vendo aquele absurdo, perguntou por que eles faziam aquilo sem que houvesse necessidade. E começou a conversar com alguns que resolveram ouvir aquele homem que era um especialista no assunto.
Essa pessoa passou a explicar que o coqueiro não precisava de sal para produzir frutos salgados, aquilo era natural, coisa da natureza que muitas vezes o homem não sabe como acontece. Coisa de Deus, vamos dizer assim! Acredito ser a melhor definição.
Bem, ele começou dizendo que se precisasse de sal como os coqueiros primitivos, principalmente, do Nordeste brasileiro não tinha sido plantados com sal e produzia excelentes frutos salgados.  Veja que teve alguém que estivesse disposto a ouvir e outro a explicar, para aqueles que viviam na ignorância aprendesse.

Com referencia ao livro que livro “Pá e Músculos”, nos mostra o quanto tem pessoas obedecendo a doutrinas de homens, muitas vezes, sem mesmo saber que aquilo não passa de ensinamentos vazios ao invés de procurar os ensinamentos primitivos deixados a disposição de quem deseja aprender. Não devemos acreditar em tudo que as pessoas falam ou escrevem principalmente em matéria de religião. 

E Mike, nosso personagem descreve que:  "Nossa ignorância de história religiosa combinada com nossa ignorância da Bíblia e das origens de nossas crenças fazem uma combinação mortífera. Qual é essa combinação? "Há caminhos que parece certo ao homem, mas o fim dele são caminhos de morte". Era uma condição repugnante. A ignorância era uma praga infectava mulheres e homens bons que continuaram a se agarrar às mentiras que lhe tinham sido contadas repetidamente em todas suas vidas". Página 242.

Porque será que cada denominação diz estar fazendo certo? A melhor maneira de saber é você ter o conhecimento da Palavra, saber o que Deus ensina e comparar o que é ensinamento e praticado por aqueles que defendem tal prática. Para isso não podemos ter preguiça de ler. 

Não podemos aceitar tudo aquilo que alguém falou ou escreveu, mesmo que seja a pessoa de nossa maior confiança. Não sou o autor, mas gostaria de indicar para quem gosta de uma excelente narrativa o livro Pá e Músculos e você, que ainda tem alguma dúvida a quem você está servindo essa é uma excelente oportunidade para uma mudança.
(a) J Araújo

8 de abril de 2016

>Como produzir cocos salgados 1ª parte

Arquivo pessoal
Se você me perguntasse como se fazia para plantar cocos quando eu era criança, a resposta não seria a mesma de hoje. A intenção desta postagem não é discutir o fundamento das religiões. Mas ao mesmo tempo, serve como pano de fundo para quem se interessar pelo assunto.  Nessa época eu morava nos confins de Minas Gerais.
Às vezes, você que está lendo este artigo se encontra na mesma situação de muita gente que se achava como eu e o personagem Mike. Pensávamos que estávamos fazendo as coisas certas. Muito se fala em religiões e fé e elas têm sido motivo de muitas desavenças, até mesmo guerras sangrentas.
Não por acaso estou lendo um livro que narra a história real de um homem que achava, que estava servindo a Deus de acordo com os ensinamentos adquiridos de pessoas de sua extrema confiança. Por causa dessa confiança o mesmo jamais questionou seu "mestre". Isso é verdade. Daí lembrou-me de um fato curioso, quando ainda muito jovem vi muita gente fazer plantação de cocos. 
Eram pessoas experientes que plantavam cocos. Você vai dizer: isso não é novidade! Você vai dizer também: conheço muita gente que faz isso! Claro que têm. Mas daquele jeito que vi talvez você nunca tenha visto. E nos ensinamentos da Palavra de Deus não é diferente. Na próxima postagem vou mostrar como elas faziam a plantação e você vai se surpreender. Aguarde a próxima postagem.
(a) J Araújo

2 de abril de 2016

Pequeno talento mostra suas habilidades no piano


O Brasil está cheio de pessoas  talentosas por onde quer que  se olharmos. Existem em cada canto pessoas desconhecidas que fazem sucesso em um determinado bairro, cidade ou estado, precisando apenas ser descobertas e tenha uma chance. E o pequeno Mateus é uma prova disso.


Em um evento ele nos surpreendeu com sua habilidade ao piano mesmo nunca tendo estudado música. Enquanto isso tem muito “artista”, por ser apadrinhados por famosos, muitas vezes, não nem perto desse garoto esperando para ser descoberto. Assista o vídeo (aqui) abaixo. Parabéns Mateus!


(a) J Araújo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...