.


20 de julho de 2013

>Dia do amigo

No Brasil existe dia pra tudo, e claro que não podia faltar também o dia do amigo. E hoje, encontrei publicado um pequeno texto em da minha colega Doroteia em homenagem aos amigos em sua página no Facebookachei o tema interessante e tomei a liberdade de transcrever abaixo com algumas observações.

“Amigo (a), palavra tão pequena, mas com significado tão grandioso, pois quem tem um amigo, tem tudo na vida, é na amizade que encontramos amparo para as aflições, uma palavra encorajadora, uma solução para os problemas, conforto para a dor, alegria de saber que podemos sempre contar com amizade, que nunca estamos sozinhos, portanto se você tem um amigo, guarde bem no coração, nunca deixe de se lembrar dele, pois o único legado que deixamos nessa vida são os amigos que fizemos enquanto aqui estivermos felizes dia do amigo a todos que me consideram como amiga”.

 Fiquei imaginando: amigo é uma coisa meio relativa na maioria das vezes. Veja por que: quando não estamos precisando todo mundo é nosso “amigo”.  Porque os verdadeiros amigos somente são conhecidos nas horas mais difíceis da nossa vida, e não fica vangloriando de nos ter ajudado.

Vamos imaginar uma cena: alguém pobre que vivia na dependência dos outros. Num lance de sorte ganha uma bolada na loteria talvez, com certeza vai aparecer centenas de pessoas dizendo ser seu amigo de longa data. Todos vai querer ficar ao seu lado. Tudo que envolve dinheiro, na maioria das vezes supera as amizades. Dinheiro na mão é vendaval já dizia o poeta Paulinho da Viola.

Nem todas as pessoas que chamamos de amigos vivem uma amizade conosco. Temos mais conhecidos e colegas do que amigos. Sendo uma forma de amor, a amizade verdadeira é tão rara quanto o amor verdadeiro, mas existe! Amigo de verdade não é aquele que diz aquilo que você quer ouvir. Amigo de verdade é aquele que diz o que você precisa ouvir.

Aquilo que você quer ouvir, seus inimigos estão prontos para lhe dizer a qualquer momento, especialmente se isso for incitar a sua vaidade e encaminha-lo o mais rápido possível para as armadilhas aos egos inflados. Um amigo de verdade arrisca a própria amizade em nome da sincera tentativa de lhe fazer enxergar a verdade. Ele pode dizer coisas que doam profundamente e que lhe façam ter a reação infantil e ingrata de romper a amizade com ele, mas mesmo assim ele diz o que precisa ser dito. Pense nisso!

J Araújo 

15 de julho de 2013

>Significado da palavra trem


Olha só isso,... Que trem mais legal...! Para orgulho dos mineiros e esclarecimento dos não mineiros... Aqui vai o verdadeiro significado da palavra... "TREM”. Interessante é que o assunto mineirês, veio à tona logo no dia em que alguns transtornos foram causados pelo desconhecimento por parte de alguns jornalistas, que escreveram a seguinte manchete: - "Trens batem de frente em Minas" - Os mineiros, obviamente, não deram a devida importância, já que para eles isto quer dizer apenas que duas coisas bateram. Poderiam ter sido dois carros, um carro e uma moto, uma carroça ou um carro de boi; ou até mesmo um choque entre uma mala de viagem e a mesa de jantar.
Movido pela curiosidade, resolvi então consultar o Dicionário Aurélio. E vejam o que ele diz: Trem - [Do francês/inglês. train.] Substantivo masculino 1.Conjunto de objetos que formam a bagagem de um viajante. 2.Comitiva, séquito. 3.Mobiliário d´uma casa. 4. Conjunto de objetos apropriados para certos serviços... 5.Carruagem, segue. 6.Vestuário, traje, trajo. 7.Mar. G. Bras.
Agrupamento de navios auxiliares destinados aos serviços (reparos, abastecimento, etc.) de uma esquadra. 8.Bras. Comboio ferroviário; trem de ferro. 9.Bras. Bateria de cozinha. 10.Bras. MG C.O. Pop. Qualquer objeto ou coisa; coisa, negócio, treco, troço: 'ensopando o arroz e abusando da pimenta, trem especial, apanhado ali mesmo, na horta. ' (Humberto Crispim Borges, Cacho de Tucum, p. 186). 11.Bras. MG S. Fam. Indivíduo sem préstimo, ou de mau caráter; traste.

Obs.:... Vejam que o sentido de comboio ferroviário é apenas o 8º, e ainda é considerado um brasileirismo! Comentei o fato com um amigo especialista em etimologia, que me esclareceu a questão: O comboio ferroviário recebeu o nome de trem justamente porque trazia;  transportava os trens das pessoas. Vale lembrar que nessa época o Brasil possuía uma malha ferroviária com relativa capilaridade e o transporte ferroviário era o mais importante.

Assim, era natural que as pessoas fizessem essa associação. Moral da história: O mineiro é, antes de tudo, um erudito! Além de erudito, ainda é humilde e aceita que o pessoal dos outros estados o tripudie da forma como usa a palavra trem. Na verdade, acho que isso faz parte do 'espírito cristão do mineiro'. Ele escuta as gozações e pensa: "Que sejam perdoados, pois não sabem o que dizem".
(a) J Araújo

12 de julho de 2013

>O recado foi dado nas ruas do Brasil

Engraçado né! O PT está com uma campanha chamada #Vemprarua com a JPT Campinas, neste caso o PT local, e o triste também é saber que no governo Lula o PT Partido dos trabalhadores, nunca convocou ninguém pra rua, e agora está fazendo isso. Quer dizer, chamou sim, quando era oposição, e olha que o governo Lula foi corrupto pra "dédeu". Tanto é que o mensalão surgiu lá, com dinheiro pra todo lado e quando os transportadores eram descobertos ninguém era dono de nada, inclusive, as cuecas passaram a ser o lugar ideal para transportar as fortunas.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando perguntando das bandalheiras que seus indicados faziam nunca sabia de nada. Lembram?  Às vezes não, a maioria dos brasileiros tem memória curta.  É “por isso que os “renans, collores” e, tantos outros voltaram” da vida voltaram à cena política. Agora que o povo tomou as ruas do país sem na verdade ter um partido político puxando multidões de descontentes que cansada de ser enganada há mais de uma década resolveu botar o bloco na rua. O governo fazia de conta que tudo aquilo não estava acontecendo no Brasil, era como se aquela gente estivesse apenas saindo de uma festa. 

 Quando o governo se viu acuado e percebeu que o povo não estava de brincadeira trataram logo de baixar o preço das passagens do transporte coletivo, e a reação foi em cascata, só se via prefeitos e governadores fazendo reuniões de emergência para discutir o assunto.

No estado de são Paulo, o governador Geraldo Alckmin, assim como o prefeito da capital Fernando Haddad, insistia em não atender as reivindicações, até que: sem saída tiveram que engolir as palavras e voltaram atrás em suas intransigências. No caso do governador os preços dos pedágios, que é um dos mais caros do país,  iam ser reajustados no dia 1º de julho, o governador teve que suspender os aumentos. Pra saciar a volúpia das concessionárias de rodovias, foi determinado que os caminhões de cargas mesmo vazios pagassem por cada eixo mesmo suspenso.  Foi a gota d’água, os caminhoneiros se rebelaram, o Brasil parou, e mais uma vez viu a força da união de um povo que até agora só ouviu mentiras e enganação dos governantes. 

E toda essa movimentação mexeu com o brio do governo central que ficou perdido no meio da multidão, o Palácio do Planalto chegou a ficar sitiado, precisava fazer alguma coisa para acalmar os ânimos. A presidente Dilma tentou convocar um plebiscito para resolver jogar toda a responsabilidade nas costas do povo colou, era ilegal.

Na verdade, o povo exige que acabe ou no mínimo diminua a corrupção, mais investimento em saúde, educação e, principalmente, o respeito que o governo não tem com seus cidadãos que pagam as mais altas taxas de impostos do mundo sem o devido retorno através de serviços de qualidade.


Infelizmente, tivemos os baderneiros que aproveitaram da situação para depredar bens públicos e privados causando enormes prejuízos em várias partes do Brasil. O recado foi dado nas ruas e pode refletir nas eleições do próximo ano. O recado foi dado,  o povo brasileiro estava há mais de duas décadas adormecido politicamente, esperamos  agora que nossos governantes fiquem mais atentos e ouçam as vozes das ruas antes de “pisar na bola”.

6 de julho de 2013

>Eu vi alguém chorado

Há alguns dias atrás no corre, corre do dia a dia da cidade grande, ao passar de carro, em um semáforo vi alguém sentado em uma calçada com as mãos no rosto chorando copiosamente. Estava com  em um veículo oficial em horário de trabalho, mesmo não fazendo parte da pasta da secretaria da promoção social eu precisava fazer alguma coisa. Aquela cena me tocou, na alma, mesmo assim segui meu caminho como a maioria dos passantes que viram a mesma cena e, porém, nada fizeram.

Afinal de contas, era apenas mais uma pessoa que estava ali não fazia a mínima diferença. Porém, aquele era um ser humano se sentindo abandonado mesmo com tanta gente, uma multidão que pouco importa com o choro alheio.  

Afinal de conta era apenas mais uma. Mas, alguma coisa me dizia que eu não devia ser igual a grande maioria que não quer nem saber das lágrimas alheias. Deus através do Espírito Santo dizia no meu coração que eu devia voltar lá e oferecer ajuda dar uma palavra, e foi o que fiz, quando me aproxime vi que era uma mulher.

No momento em que estava falando com a mesma seu celular tocou. Falei com a pessoa do outro lado da linha e me dispus a encaminhar aquela pessoa até sua casa se ela aceitasse a acompanhar-me. Falei com ela da bondade e amor de Deus através do seu filho Jesus. 

Em todo lugar existe alguém precisando de ajuda, mas por incrível que possa parecer é nas grandes cidades estão a maioria delas. Quando falamos em ajuda já vem logo na cabeça o dinheiro. Na verdade essa ajuda nem sempre é financeira, às vezes uma palavra amiga, uma mão estendida pode ser a única coisa que alguém está buscando nas horas de angústia. Estenda suas mãos a quem precisa.

(a) J Araújo 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...