.


30 de dezembro de 2013

>A Anatel e as operadoras riem da nossa cara.

O Brasil é um país excelente, o que falta mesmo é o respeito dos prestadores de serviços com os consumidores, (aqui no caso, operadora de telefonia celular, a Vivo), que de vivo só tem nome.

Há algum tempo aderi ao plano de INTERNET no valor de R$ 9,90 por mês. Tenho feito recargas regulares,  ocorre que não importa o valor, mínimo ou maximo, exigido pela empresa. Utilizo raramente, tenho wi-fi, uso de vez em quando o acesso oferecido pele referida operadora, assim mesmo meus créditos têm sido consumidos, mesmo eu não os utilizando para ligações.  

A última recarga feita foi em 24/12/2013, sem fazer nenhuma ligação consta saldo de apenas R$ 1,19. Recebi torpedos da operadora informando que estão descontando R$ 0,99 dos meus créditos a fim de aumentar a velocidade. Sem o meu  consentimento, sem adesão.

Tentei de várias maneiras entrarem em contato com a empresa através dos canais informados nenhum funciona a contento, em *8486, você liga e ficamos a ouvir as propostas da empresa, quando conseguimos acessar um ser vivente, este ao que tudo indica, ‘desliga’ na nossa cara.

Não contente, tentamos entrar em contato com a Ouvidoria da empresa, olha o que encontramos lá, a maldita “musiquinha” que ouvimos antes, aí começamos a falar: na primeira tentativa com a Lília, depois com a Simone e por ultimo com o Ivo. Uma ligação pra cada um, e por incrível que possa parecer, todas as ligações “cai”. Aparecer uma gravação dizendo para avaliarmos o atendimento.

Mas não para por aí. Resolvemos então entrar em contato com o ultimo recurso que achamos que vai funcionar, isso, dentro do horário estipulado, de atendimento, a Anatel, damos com a “porta na cara”, ninguém atende, vamos reclamar com quem? Estamos no Brasil, aqui  é Anatel e as operadoras dando risadas na nossa cara. 

*Quem concorda, compartilha!!

25 de dezembro de 2013

>Ele é o Rei...

O Natal não é mencionado nenhuma vez nas Escrituras. Todos os anos, em todo mundo, algumas pessoas guardam o dia  escolhido pelos homens para comemorar o nascimento de Jesus. Algumas pessoas o guarda como um dia santo especial, enquanto muitas outras fizeram dele um tempo de comercialização, de interesses egoístas. As modernas comemorações do Natal têm pouco a ver com os fatos da Bíblia.

A Bíblia não revela a data do nascimento de Cristo, nem mesmo o número de magos que o visitaram em Belém. As escrituras não autorizam uma comemoração especial na igreja, nem um dia santo para comemorar o nascimento de Jesus. Evidentemente, a Bíblia não dá aprovação ao materialismo egoísta, tão comum nessa época do ano.

Mas Jesus nasceu, e por um motivo muito bom. Ele veio para salvar-nos do pecado (1 Timóteo 2:56). Ele é o Rei, não só dos judeus, mas de todos os homens (Mateus 28:18-20). Sua grande vitoria veio, não com seu nascimento, mas com sua morte e ressurreição. Esta é a vitoria que o faz nosso Redentor, digno de honra e adoração (Apocalipse 5:8-14).

Hoje, precisamos imitar os magos, que procuraram tão esforçadamente encontrar Jesus. Não podemos nos contentar com as crenças tradicionais, as doutrinas humanas, ou os dogmas das igrejas. Temos que examinar as Escrituras (Atos 17:11). Temos que aceitar o que é certo e rejeitar o que é errado (1 Tessalonicenses 5:21-22). Temos que estar certos de que Jesus veio a esta terra uma vez, e que ele voltará para chamar-nos ao julgamento (Atos 17:30-31; 2 Coríntios 5:9-10).


Na época do Natal, quando muitas pessoas mostra uma religião superficial e falam sobre um Jesus desconhecido para elas, nós devemos lembrar que é possível ser cristãos, seguidores de Jesus. Não devemos ensinar ou defender doutrinas de homens. Temos que simplesmente seguir a Jesus e encorajar outros a fazer a mesma coisa. Que possamos adorar a Cristo de acordo com a vontade dele!

21 de dezembro de 2013

>Todo ano é a mesma coisa, grande parte das pessoas vê o natal...

Oi pessoal! O Natal está chegando e aproveito para lhes desejar que seja excelente para todos, mas tenho consciência que, na verdade, não é bem assim. Muitos vão se empanturrar enquanto outros nada têm o que comer, em um país que desperdiça toneladas de alimentos.  Todo ano é a mesma coisa, grande parte das pessoas vê o natal como uma mera data para o consumismo se esquecendo na verdade é que a data deveria ser um momento de reflexão.  Mas parece que vocês não estão gostando muito do que ando escrevendo ultimamente. Não é verdade? Mas o que posso fazer. Nada!  Nem sempre agradamos todo mundo e, se agradássemos alguma coisa estaria errada.

Aproveita, esse momento, e dê uma olhadinha só por curiosidade - o que andei escrevendo durante todo esse tempo - e indique para os amigos, até como um ato de: não vou dizer vingança porque não vingamos dos amigos. Amigos como disse Milton Nascimento, carregamos do lado esquerdo do peito.  Indique para seu amigo, mais como um desafio. Será que vou ter de parar de escrever?

 Ah não! Não é verdade, esqueci que já estou escrevendo neste espaço desde 12 de outubro de 2008, mas na verdade, não somente aqui,  lá também onde iniciei em 13 de outubro de 2007, com esta postagem: Pena alternativa.  Antes, porém já escrevia no Blog do Jota, onde publiquei minha primeira postagem em 28 de junho de 2006, lembro-me até hoje. Como se vê, já venho a algum tempo verbalizando palavras mesmo assim eu não pretendo parar agora! O verdadeiro "aniversariante" faltou à festa de muitos neste natal.

Entra nestas páginas e solta o verbo, não tem problema se for crítica, acho até bom, quero contar com sua opinião e sugestão. Ah! Queria tanto poder contar com sua colaboração no desenvolvimento de novas ideias para enriquecer um pouco mais meus conhecimentos. Vocês como eu, somos aprendizes eternos nesse mundo maluco. Ou somos nós os malucos do mundo? Malucos ou não, vamos sobrevivendo, muitas vezes nos indignando outras achando graça de muitas coisas.

Feliz Natal a todos os leitores e visitantes!!!!

(a)  J Araújo 

18 de dezembro de 2013

>Imagens chocantes

Isso é o que está acontecendo no Estado do Maranhão, governado por Roseana Sarney.




Todas as imagens aqui foram retiradas da web.

Minha opinião.

14 de dezembro de 2013

> Se você já foi multado, saiba seus direitos

Multa por avançar sinal de transito nunca se sabe quando podemos precisar dessas informações!

Você já levou multa pó avançar sinal vermelho? Se já levou e foi fotografado, provavelmente foi enganado pelo órgão de transito emitente da infração. Se nunca foi, um dia será enganado também. Não acredita? Então veja o que lhe espera:

Você sabia que na multa, além de aparecer o seu veiculo, a foto tem que mostrar também o sinal vermelho aceso e o seu carro sobre a faixa de pedestres ou, na falta da inexistência da faixa, o seu veiculo deve aparecer além da faixa de retenção?
Não sabia né? Então se liga nessa dica!

A lei determina que a imagem detectada pelo sistema automático não metrológico de fiscalização (pardal ou indique que você está além de onde deveria estar) a responsabilidade de pintar as faixas é deles, mas eles não pintam. Só se preocupam em cobrar multas;

- Ou, pior ainda, na maior roubalheira institucionalizada, eles fotografam o seu veiculo em um pardal de velocidade (R$ 127,69) e utilizam essa imagem como se você estivesse avançando um sinal vermelho (R$ 574,62). Você leva sete pontos na carteira, em vez de 5, e eles passam a mão no seu dinheiro como se estivessem na maior legalidade.

Fazendo a continha dá pra entender fácil, fácil, porque eles não mostram tudo. R$ 574,62 é quatro vezes e meia os R$ 127,69. Mesmo que alguns poucos condutores entre com recurso e ganhe, os que não recorrem pagam trocentas vezes mais do que órgãos de transito deixa de receber dos mais esclarecidos.
Percebeu porque não mostrarem tudo na foto?

Resumindo:

As infrações que não contiver todas as exigências da lei não tem qualquer validade, sendo facilmente invalidadas se o cidadão entrar com recurso argumentando que o auto de infração, por não conter (colocar as informações que faltam), está em desacordo com o parágrafo 4º da Resolução 165/2004 do CONTRAN e Artigo 6º, da Portaria 16/2004 do DENATRAN.

Chega de pagar sem saber dos direitos a que temos e eles não dizem. Passe a conhecer os seus direitos e entre com recursos sempre que se sentir lesado. Envie e-mail para o DENATRAN (denatran@cidades.gov.br) se o seu órgão de transito utiliza a pratica de emitir autos de infração incompletos, duvidosos e caça-níqueis. 

Mas, principalmente divulgue essas informações ao maximo de pessoas que você conhece. A prática tem mostrado que correntes do bem na internet trazem resultados positivos. Encaminhe esta postagem para seu circulo de amigos.
Um dia William Shakespeare disse:

“Feliz aquele que transfere o que sabe, e aprende o que ensina”.
Multa por avançar sinal de transito nunca se sabe quando podemos precisar dessas informações!

Você já levou multa pó avançar sinal vermelho? Se já levou e foi fotografado, provavelmente foi enganado pelo órgão de transito emitente da infração. Se nunca foi, um dia será enganado também. Não acredita? Então veja o que lhe espera:

Você sabia que na multa, além de aparecer o seu veiculo, a foto tem que mostrar também o sinal vermelho aceso e o seu carro sobre a faixa de pedestres ou, na falta da inexistência da faixa, o seu veiculo deve aparecer além da faixa de retenção?
Não sabia né? Então se liga nessa dica!

A lei determina que a imagem detectada pelo sistema automático não metrológico de fiscalização (pardal ou indique que você está além de onde deveria estar) a responsabilidade de pintar as faixas é deles, mas eles não pintam. Só se preocupam em cobrar multas;

- Ou, pior ainda, na maior roubalheira institucionalizada, eles fotografam o seu veiculo em um pardal de velocidade (R$ 127,69) e utilizam essa imagem como se você estivesse avançando um sinal vermelho (R$ 574,62). Você leva sete pontos na carteira, em vez de 5, e eles passam a mão no seu dinheiro como se estivessem na maior legalidade.

Fazendo a continha dá pra entender fácil, fácil, porque eles não mostram tudo. R$ 574,62 é quatro vezes e meia os R$ 127,69. Mesmo que alguns poucos condutores entre com recurso e ganhe, os que não recorrem pagam trocentas vezes mais do que órgãos de transito deixa de receber dos mais esclarecidos.
Percebeu porque não mostrarem tudo na foto?

Resumindo:

As infrações que não contiver todas as exigências da lei não tem qualquer validade, sendo facilmente invalidadas se o cidadão entrar com recurso argumentando que o auto de infração, por não conter (colocar as informações que faltam), está em desacordo com o parágrafo 4º da Resolução 165/2004 do CONTRAN e Artigo 6º, da Portaria 16/2004 do DENATRAN.

Chega de pagar sem saber dos direitos a que temos e eles não nos dizem. Passe a conhecer os seus direitos e entre com recursos sempre que se sentir lesado. Envie e-mail para o DENATRAN (denatran@cidades.gov.br) se o seu órgão de transito utiliza a pratica de emitir autos de infração incompletos, duvidosos e caça-níquéis

Mas, principalmente divulgue essas informações ao maximo de pessoas que você conhece. A prática tem mostrado que correntes do bem na internet trazem resultados positivos. Encaminhe esta postagem para seu circulo de amigos.

Um dia William Shakespeare disse:

Feliz aquele que transfere o que sabe, e aprende o que ensina”.

7 de dezembro de 2013

>A falta de higiene e a exploração das pessoas

Quem já não teve o desprazer de ver a sujeira que prolifera nas cidades, que atire a primeira pedra – de preferência em que joga lixo na rua ou em qualquer outro lugar que não seja o adequado – ela vem de todos os lados pelas mãos  de pessoas porcas, que me perdoe a espécie. Por onde quer que andemos vemos lixos jogados pelas ruas entupindo bueiros e muitas vezes ajudando a  provocar inundações onde poderia ser evitadas. Vemos de um simples papel de bala a sofás e colchões velhos descartados em terrenos baldios ou mesmo nos córregos ou rios que cortam as cidades.

Quantas vezes vimos cenas absurdas de pessoas descartando seus lixos – mesmo existindo coleta – sem dar a menor importância com a questão do meio ambiente em que vive. Isso ocorre não somente nas ruas, mas também nas estradas de todo o país. As concessionárias de rodovias retiram toneladas de detritos jogados pelas janelas dos carros pelos porcalhões de passagem pelos trechos percorridos.  Tudo isso é pago pelo consumidor que paga os pedágios existentes e nos preços já estão também embutidos as despesas com esse tipo de serviço. Fica meu repudio a essas pessoas que emporcalha os postes de energia e pontos de ônibus.

No caso dos postes e ponto de ônibus é mais pelo péssimo visual, não deixando de ser uma poluição visual. Tudo isso acontece nas ‘barbas’ do poder público que incompetente como é na fiscalização, acaba deixando a cidade nas mãos desses porcos. Volto a me desculpar com os porcos. A lei que regulamenta a propaganda nas ruas existe, mas não é cumprida. É aquela história, dizem que tem leis que não pegam, só existe no papel. E o povo brasileiro, a maioria infelizmente, não tem o hábito de cuidar do meio onde vive.

Nestes lugares podemos ver de tudo, de cartazes com  oferta de emprego à cartomante oferecendo seus serviços que promete resolver todos os problemas que você possa ter na vida. O que na verdade não passa de puro charlatanismo. São tão descaradas as mentiras, mesmo assim muitas pessoas incautas e desesperadas com problemas, principalmente, sentimentais acabam sendo as vítimas preferidas desses exploradores da boa fé alheia.

(       (a)    J Araújo

30 de novembro de 2013

>Um povo alegre e descontraído que faz piada de tudo

Não sei se isso acontece somente no Brasil, como vivemos aqui podemos sentir na pele o que é ter um bando de governantes e políticos corruptos. Mas, o povo brasileiro, também como se sabe é um povo divertido, alegre, descontraído e pacato. Acredito que pacato até demais. Chegando ao ponto de fazer piada até com a própria desgraça que acontece, às vezes, na própria vida.

E essa estória a seguir foi produzida quando ocorreu a morte do ex-presidente da República, Itamar Franco, (1930-2011) que governou o país de 1992 a 1995, substituindo Fernando Collor de Mello, cassado no primeiro impeachment ocorrido em toda a história do Brasil República.

Tudo pronto para as despedidas de praxe, o caixão ali aberto. E político como sabemos, adora aparecer na mídia, não perde a oportunidade de sair na foto, desde que não seja para dar satisfação quando aprontam suas falcatruas. O ex-presidente finalmente é sepultado e logo surge a primeira piada a seu respeito.

Diz que Itamar chegando ao céu parecia todo orgulhoso. O apostolo  Pedro vendo aquela cara de felicidade do mesmo foi logo questionando.
- Porque essa cara de felicidade, você nem sabe se vai ficar aqui?
E Itamar respondeu:

-  Pedro, meu caro Pedro, acabei de superar o Mestre Jesus.
E Pedro surpreso quer saber como isso aconteceu, até porque conheceu e andou com Jesus participando de seu Ministério quando viveu e morreu crucificado aqui na terra.

- E como foi essa superação, Itamar?
E Itamar, passa a mão no seu topete inconfundível e responde:
- Ora meu caro Pedro, quando Jesus morreu na cruz, havia dois ladrões ao seu lado dele...

- Agora, olha aqui na foto do meu funeral...
Imagem da web

23 de novembro de 2013

>Entre morrer e perder a vida tem uma escolha, qual você prefere?

Por mais que a morte seja a única certeza que temos em vida nem todo mundo pensa a mesma coisa. Se alguém te perguntar do que você tem medo provavelmente sua resposta vai ser diferente de outras pessoas que vai responder a mesma pergunta. Entre morrer e perder a vida tem existe apenas uma escolha, qual você prefere? Isto é, vamos ter dezenas de respostas diferentes, nem todo mundo tem medo das mesmas coisas.  Alguns têm medo de morrer. Outros têm medo de ficar pobres, essa resposta claro, só vale para os ricos. Particularmente, não tenho medo da morte.  Mas tenho medo de perder a vida depois de ouvir esse homem do campo.
E você?

(a) J Araújo

15 de novembro de 2013

>O morto que não tinha morrido

Distrito de Estêvão Araújo - MG
A pessoa que me contou jura de pés juntos que a história é verdadeira e aconteceu em uma pequeno distrito de nome Estevão Araújo, no município de Araponga, esse distrito foi fundado pelos meus antepassados. Esta não foi a primeira vez que ouvi a mesma história.  Hoje a pessoa que recontou a mesma tem setenta e dois anos de idade, na época era apenas um jovem de pouco mais de dez anos.

Há muitos anos tenho uma certa rotina que ao mesmo tempo não é rotina porque aprendo alguma coisa diferente a cada viagem que faço quando chego em minha terra natal. Sempre aprendo alguma coisa quando lá retorno. Ouço um causo ou uma nova história e, desta vez não fugiu à regra. Ouvi a seguinte história de um amigo: existia um senhor de uma certa idade que veio a “falecer de repente”, era um comerciante muito conhecido em toda a região, como de praxe muito choro e lamentação pela grande perda daquele que um dia fez parte da comunidade.

Fizeram o velório e preparam o enterro para o dia seguinte. Caixão fechado, hora das despedidas, ao chegar ao cemitério quando abriram a tampa do mesmo eis a surpresa, o senhor simplesmente levantou a cabeça do travesseiro, esfregou as mãos nos olhos e disse:

- Nossa, como eu dormi, nuca tinha dormido tanto na vida!

Logo percebeu aquela multidão ao seu redor e quis uma explicação convincente para o acontecido. Naturalmente, muita gente saiu dali correndo. Depois de toda a história explicada e a confusão acalmada este senhor viveu ainda por logos anos até o dia que morreu pela segunda vez. A pergunta que não queria calar era: “será que desta vez o homem morreu de verdade? Ficou a dúvida, enterra ou não o defunto! Link do vídeo.

8 de novembro de 2013

>As plantas e suas propriedades medicinais sempre nos surpreende

Imagem J Araújo

Estive em Minas Gerais, no Município de Araponga, mais precisamente em uma região conhecida como Estouros, lá conheci essa arvore - das fotos - que está fazendo o maior sucesso naquela região. 

Quem conhece? Até o momento a única coisa certa é que os moradores estão encantados com ela, (não pela beleza de suas flores) pelas propriedades curativas que a mesma tem apresentado, já arrumaram até um nome para a mesma.

Imagem J Araújo
Estão chamando-a de "Mertiolates". Os moradores da roça estão usando o liquido que sai quando sua folha é retirada do caule, como cicatrizante "curando" ferimentos com uma rapidez impressionante segundo informações.


Estava ansioso em saber que planta é essa através de pesquisadores que pudesse responder com segurança se realmente a mesma tem alguma propriedade terapêutica conhecida da medicina ou se é apenas mais uma daquelas famosas descobertas da medicina popular.

Em contato com o Instituto de Botânica de São Paulo veja a resposta:

Prezado J Araújo

As fotos que você enviou são da jatropha multifida, uma espécie da Euphorbiaceae, a mesma da família da mandioca e da borracha. Essa espécie é nativa do México e America Central, no Brasil é cultivada como planta ornamental.

Desconheço qualquer utilização do látex dessa planta como cicatrizante, que inclusive pode ser irritante para a pele. 

Entretanto a utilização de látex de Euphorbiaceae para extirpar verrugas é mencionada na medicina popular, como no caso da Euphorbia tirucalli, uma espécie também muito cultivada no Brasil.

Atenciosamente

Inês Cordeiro



3 de novembro de 2013

>Exmº. Sr. Secretário de Meio Ambiente do governo do Estado de Minas Gerais


 Carta aberta

 Exmº. Sr. Secretário de Meio Ambiente do governo do 

  Estado de Minas Gerais

Nasci no município de Araponga – MG, mais especificamente na comunidade dos Estouros, vi o inicio da destruição e o renascimento das matas da região do Pico do Boné e também a região do Pico do Matipozinho, mais conhecido como Tromba D’anta.

Há mais de 40 anos deixei a região e moro no Estado de São Paulo, fiquei feliz quando o governo do Estado criou o (PESB), Parque Estadual Serra do Brigadeiro, através do Decreto nº 38.319 de 27 de setembro de 1996, porém o que se vê na sede original da fazendo é o abandono daquela construção, nesses 17 anos de existência do parque nada foi investido para preservação daquela que um dia viveu o apogeu. 

Hoje aquela sede se encontra caindo aos pedaços precisando de um projeto de reforma que ouço falar há mais de uma década, os anos vão passando e até agora nada foi feito. Para que não os responsáveis pelo local diga que não falo a verdade, percebi que a energia elétrica chegou recentemente no local. Só que a população não pode esquecer que no próximo temos eleições, pode ser uma jogada política.

Posso até não ser ouvido, mas pelo menos quero que saiba o quanto o povo daquele entorno e região almeja por melhoras naquele parque. É hora de colocar em pratica os discursos feitos principalmente em época de pedir votos daquele povo.

É uma região que precisa ser preservada, mas também explorada através do turismo rural, a população do entorno, com certeza só tem a ganhar com o desenvolvimento sustentável daquela região gerando renda para aquele povo. Todos os meus irmãos moram ainda lá. Tento através da divulgação do lugar atrair pessoas para conhecer, mas do jeito que está é desanimador e olha que não sou somente eu que pensa assim. Espero um dia poder ver aquela obra sair do papel, digo isso porque vi um esboço do projeto. Veja o vídeo.

Este post foi publicado no Facebook oficial do Governo do Estado de Minas Gerais

Atenciosamente,

J Araújo 



                                                                                     

31 de outubro de 2013

>Curiosidades de minas

Estive afastado por alguns dias por um bom motivo, estava viajando lá pelas bandas das Serras de Minas, e com isso pude trazer para os leitores do blog algumas histórias e curiosidades colhidas nessa passagem pela região.  Chega de explicações e vamos logo ao que interessa. 
Imagem/ D.C
                                             
Tenho certeza que não é só comigo que acontece, por mais que achamos que já vimos quase tudo estamos sempre nos surpreendendo a cada dia. E nessas andanças não foi diferente. Quem nunca precisou usar um banheiro público para aliviar nossas necessidades fisiológicas, e nessas horas se perde o pudor e acabamos usando mesmo que contra a nossa vontade.

Deixamos de lado aquela história de que somente usamos o banheiro de casa, na hora do aperto, na falta do dito cujo escondemos até mesmo no mato – moita na linguagem mais popular, - como eu já disse vai depender do aperto. Acredito que qualquer pessoa já usou, ou no mínimo ouviu falar em banheiro coletivo, mas eu e minha esposa em uma viagem que fizemos, ela descobriu um lugar onde colocaram dois vasos sanitários em um mesmo Box isso em um banheiro feminino.

Quando ela contou, confesso quase não acreditei, passando pela mesma estrada, fiz questão de parar no mesmo local isso depois de um ano, orientei a mesma fotografar esse ineditismo pelo menos pra mim para que eu pudesse contar e mostrar para outras pessoas.

O que intriga, nesse local fizeram isso não foi por falta de espaço. Nessas alturas nossa imaginação vai trabalhando, cheguei a pensar: se é no banheiro feminino talvez seja para as mulheres não perder tempo no bate papo, sendo um assunto interessante uma pode sentar do lado da outra e colocar o papo em ordem sem interrupção.  
Imagem/J. Araújo

Já que estamos falando em banheiro mais uma cena que chamou atenção foi exatamente mais um que encontrei, só que esse não é pelo fato de ter ou não dois vasos no mesmo box, até porque ele não é em nenhum ambiente público, mas sim na zona rural distante da cidade. Esse ao contrário é um banheiro que não tem casa, e não uma casa que não tem banheiro. 

Explico a Prefeitura Municipal de Araponga – MG tem um programa que constroem banheiros nas casas de pessoas de menor renda da área rural, e nesse lugar o programa do governo foi mais rápido, construiu o banheiro antes do proprietário construir a casa. Agora ele vai ter que adaptar a casa ao banheiro no caso de algum dia resolver construir sua casa aos pés da serra. O cenário é uma beleza. 

19 de outubro de 2013

>Quem nasceu nas montanhas não se adapta na praia

Não adianta, quem nasceu nas montanhas não se acostuma com praias. O nativo das montanhas é igual cabrito montanhês, quer ficar sempre nas alturas apreciando a paisagem. Enquanto que aqui na praia eu não avisto mais que um ou dois quilometro alem do meu nariz, por onde quer que eu olhe é água. Dois dias de praia está bom demais para quem prefere as montanhas. De férias viemos para Peruíbe, litoral sul de São Paulo, onde o tempo no começo da semana não ajudou muito, agora o sol brilha, mesmo assim prefiro minhas montanhas nativas. Entre o mar com suas praias ainda prefiro as cachoeiras. Tudo é uma questão de gosto.

11 de outubro de 2013

>Lição de honestidade

Pai de assaltante procuram vitimas para devolver dinheiro roubado pelo filho no interior de São Paulo.

Homem procurou um posto de combustíveis e uma farmácia para arcar com os prejuízos dos roubos.

O auxiliar de pedreiro, Dorivaldo Porfírio de Lima, não tem carteira assinada e recebe pouco mais de um salário mínimo por mês. Mesmo assim, procurou as vitimas dos assaltos praticados pelo filho para ressarci-los dos prejuízos.

Assinou notas promissórias e vai pagar em 10 parcelas parte dos 1,5 mil, roubados pelo filho, de um posto de combustível e de uma farmácia da cidade de Jales, no interior de São Paulo. A história sensibilizou os moradores da cidade, que estão ajudando o auxiliar a pagar os prejuízos.

- Quando recebi a visita dele, dizendo que queria pagar os prejuízos do roubo, fiquei surpreso, quase caí de costas. Afinal, não é dá para acreditar numa coisa dessas. Hoje em dia até quem tem divida já não paga, imagine alguém pagar pelos outros – comentou o comerciante Pedro Paulo Santana, dono do autoposto Espacial, assaltado na madrugada de terça-feira.

As câmeras do posto filmaram quando dois rapazes armados renderam o frentista e limparam o caixa da loja de conveniência após ameaçar uma funcionaria do estabelecimento. Um dos assaltantes é o filho de 18 anos de Dorivaldo. A dupla foi presa no dia seguinte e confessaram os dois roubos.

Na quarta-feira, ao saber da prisão, Dorivaldo começou a procurar os comerciantes para ressarci-los dos prejuízos. Foi por dois dias seguidos procurara o dono do posto.

- Ninguém deve ficar no prejuízo de ninguém. Por isso, decidi procurar os donos do posto e da farmácia para tentar consertar essa situação. E também vou acertar o celular da moça que eles roubaram – contou.

Na quinta-feira, ao encontrar Santana, o auxiliar fez um acordo. Como não tinha dinheiro para pagar a vista, dividiu os R$ 900 roubados no posto em 10 parcelas de R$ 90 cada uma.

Honestidade assusta

Dorivaldo também procurou a farmácia Silva Drogas, no centro da cidade, roubada na manhã de domingo.

- Quando ele se apresentou como pai de um dos ladrões, levei um susto e fiquei mais assustado ainda quando ele me disse que queria pagar o prejuízo do filho – conta João Durval Passari, dono da farmácia. Lá, Dorivaldo conseguiu um desconto, mas não foi preciso pagar.

- Como eram dois ladrões, aceitei parcelar só metade dos R$ 600 roubados, mas hoje (sexta-feira), quando algumas pessoas da cidade souberam da história dele, vieram aqui e pagaram os R$ 300 – afirmou Passari.

- O pessoal da cidade ficou muito sensibilizado e decidiu ajuda-lo. E não é por menos, porque uma história dessas a gente não vê acontecer todo dia – completou o dono da farmácia.

Outro que se surpreendeu com o caso foi o delegado Sebastião Biasi, que atendeu a ocorrência.

- Em 20 anos de profissão, nunca vi uma situação dessas – contou.

Segundo Biasi, o filho do auxiliar de pedreiro, bruno de Souza Lima, de 18 anos, confessou os roubos. Ele era primário, foi a primeira passagem dele. Ele é usuário de drogas – disse o delegado. Apesar da prisão, Dorivaldo diz acreditar na recuperação do filho, que pela primeira vez praticou assalto.

- Ele se perdeu nas drogas, que falaram mais alto na cabeça dele. Eu acredito que ele vai se recuperar. Ele, saindo da cadeia vai trabalhar para me pagar o que paguei para as vitimas, pois ele é um rapaz trabalhador, batalhador. Ele não precisa disso, só aconteceu porque as drogas falaram mais alto. Tenho certeza disso – afirmou o pai.
Fonte: O Estadão

7 de outubro de 2013

>Os encantos da primavera

Imagem/J Araújo
Os ipês, principalmente, rosa nesta época do ano se destacam dentre as demais árvores nas ruas e avenidas arborizadas das cidades. Esta aí da foto é a Avenida Manoel Dias da Silva na Vila Industrial em Campinas - SP, onde o chão virou um verdadeiro tapete de flores. Em minhas andanças gosto de registrar estas cenas e compartilhar com o maior número de pessoas possíveis. 

Cada um, geralmente, tem um hobby, eu digo que tenho vários, e a fotografia é um deles. Gosto de registrar momentos em fotos e  quando possível em vídeos, cenas que são momentos únicos e jamais se repetirão. A natureza tenta de todas as formas se recompor mesmo diante da fúria do homem que insiste em destruí-la, em troca nos brinda com toda essa beleza de cenário nessa selva de pedra em que vivemos que são as grandes metrópoles.

(a) J Araújo

4 de outubro de 2013

>Morte na Unicamp

A UNICAMP (universidade Estadual de Campinas) está na mídia nos últimos dias devido à morte covarde do estudante Denis Papa Casagrande, por um grupo de punks em uma festa dentro do campus da universidade. A autora confessa da facada que matou o jovem, Maria Tereza Peregrino e, seu namorado, Anderson Marcelino Ferreira Mamede estão presos. Os mesmos não eram estudantes da universidade.  A instituição, em principio, dizia desconhecer a realização de tal festa, mas, depois da repercussão do caso acabou reconhecendo, porém, querendo se eximir de responsabilidade.

Depois de alguns dias solicitou a presença mais constante da polícia militar para reforçar a segurança da comunidade acadêmica. Diante disso, a comunidade está divida, existem os que apoiam e os que são contra a presença da polícia fazendo rondas ostensivas. Quando ocorrem os crimes, inclusive de roubos e furtos sempre existe reclamação pela falta de segurança. Enquanto isso, a população de bem de maneira geral gostaria de ter a presença da polícia, enquanto os estudantes quer distância da mesma.  
Será por quê? Que eu saiba, todas as pessoas que não tem nada a esconder se sentiria mais seguras com a polícia por perto. Diante disso, um grupo de baderneiros mascarados, que estudam de graça, à custa dos impostos que pagamos, resolveu invadir a reitoria e começar um quebra-quebra, destruindo o patrimônio público  pago com o meu, com o seu, com o nosso dinheiro. Fato parecido aconteceu na USP em novembro de 2011, quando estudantes invadiram o campus daquela universidade na capital paulista, também por um fato parecido, um estudante havia sido morto. Eles (estudantes) têm medo de que?  
(a) J Araújo 

16 de setembro de 2013

>Tenho minhas dúvidas com referência a justiça não enxergar

(Atualização 18/09/2013) 
O que os brasileiros temiam aconteceu, o ministro do STF, (Supremo Tribunal Federal), Celso de Mello, votou mesmo a favor dos mensaleiros, que aguardavam ansiosos pelo resultado, agora fica mais fácil se livrar da cadeia, se é que iam mesmo pra lá.   Não sou advogado, por isso não me cabe aqui discutir a legalidade ou não dessa ou daquela medida.  

Aqui vou apenas expressar a opinião de um cidadão pagador de impostos como milhares de brasileiros e não temos um serviço público de qualidade, salvo raras exceções, o Poupa-Tempo, do governo paulista é um exemplo e também acho que é o único se eu não estiver enganado.  Com meu fraco conhecimento das leis, achava que a decisão da Suprema Corte, era algo indiscutível, que ali era dada a palavra final diante de qualquer decisão jurídica.

Sabe aquela imagem que vemos de uma senhora de olhos vendados que representa a justiça? Tenho minhas duvidas com referencia a mesma não enxergar. Por que a mesma só consegue mandar pra cadeia a maioria das pessoas pobres, negros e outras minorias menos favorecidas? Acho que aquela venda não está funcionando como deveria. 

Acredito que está na hora de trocar e colocar uma cega de verdade. Porque aquela está enxergando através do pano. Afinal de contas um caipira não é dado o conhecimento dos meandros do poder, principalmente, o Poder Judiciário que é o lugar onde esperamos que a justiça seja feita. Mas, descobri que a coisa não é bem assim quando se trata de políticos no banco dos réus, pelo que podemos ver é o maximo aonde eles chegam. Pra fugir a regra, tem um atrás das grades, Natan Donadon, com o pomposo titulo de deputado federal.

Agora existe uma grande expectativa dos brasileiros, ate mesmo de outros países para o voto do ministro Celso de Mello, é que o voto do mesmo que deve ocorrer na seção da próxima quarta-feira (18/09), pode dar outro rumo ao processo que ficou conhecido em todo Brasil como “mensalão”, um dos maiores escândalos políticos da recente história democrática ocorrido no primeiro mandato do governo Luiz Inácio Lula da Silva. 

Dependendo do voto do ministro para o desempate já que o resultado foi de 5 x 5, se favorável, 12 dos 25 mensaleiros condenados no processo terão direito a um novo julgamento, é o tal do embargo infringente. O ministro em questão pode entrar para a história como o homem que “melou o processo” e colocar o STF (Supremo Tribunal Federal), como apenas mais um lugar que não respeita a vontade e o anseio do povo. Isto é, mais uma válvula de escape para a famosa impunidade. Ah, quem faz as leis? Os políticos!

(a) J Araújo

13 de setembro de 2013

>O inferno é aqui

Acabei de ler o livro reportagem, “Holocausto Brasileiro”, da jornalista Daniela Arbex. A publicação conta com detalhes o que se passava no complexo psiquiátrico, um dos maiores do Brasil, uma construção do inicio do Século XX, na cidade de Barbacena, conhecida como Colônia, localizada na Zona da Mata mineira. Eu, particularmente, conhecia alguns relatos da historia do lugar desde criança. Porém, a autora conta com riqueza de detalhes, com fotos de arquivos, depoimentos de sobrevivente e de pessoas que de alguma forma conviveram com o drama daquela gente esquecida pela sociedade.  

Uns poucos deles, hoje ainda vivem em casas de apoio onde recebe a devida atenção e respeito que tiveram quando hospitalizado. Mesmo sendo vítima de um modelo ultrapassado de "tratamento" alguns resistiram. Do lado de fora, poucos se sabia o que acontecia atrás dos muros daquela instituição centenária acontecimentos que abrigava gente, muitas vezes colocadas ali à força que ficava sobre a tutela do estado. 


Lembro mesmo morando distante a fama do hospício, que corria longe, com suas historias macabras. A maioria das pessoas que iam, ou melhor, eram levadas pra lá, a maioria não retornava.  Nos dias atuais existem, ainda, alguns pacientes sobreviventes que, mesmo passando por toda sorte de maus tratos, pra não dizer torturas, são testemunhas vivas de uma triste pagina da história de um dos maiores e mais famosos manicômios brasileiros. Se quiséssemos amedrontar alguém bastava citar o nome da cidade de Barbacena, que passou a ser sinônimo de loucura.  De lá saia cargas de corpos para ser vendidos como se fosse a coisa mais natural do mundo. As pessoas tinham medo o manicômio também era conhecido como o inferno na terra. Tem uma entrevista da mesma ao programa provocações da Tv Cultura.

(a) J Araújo

7 de setembro de 2013

>O tempo e as lembranças

O tempo passa e as lembranças da infância ficam em nossa memória e de vez em quando aparece como lampejos de saudade de um tempo que ficou em um passado distante, mas bem perto do coração. Vivíamos sem nenhuma uma tecnologia, não tínhamos radio, se eu quisesse ouvir um ia pra casa do vizinho, não que não pudéssemos comprar, meus pais achava que era coisa de primeira necessidade, mesmo assim éramos felizes. 

Estou expressando no plural, por que não estou referido somente a mim, também aos amigos, na verdade, a maioria deles já partiu. Não tínhamos ilusões, não tínhamos maldade, vivíamos isolados como uma tribo desconhecida no meio de um mar de montanhas e cachoeiras, nosso mundo se resumia a até onde a vista alcançava. Por mais que esforçássemos não acreditávamos na maioria das coisas que ouvíamos através das poucas informações que nos chegavam..  

Somente vendo para acreditar, e como nossa vida era limitada de conhecimentos... isso bastava pra nós! Hoje, infelizmente, vivemos uma realidade totalmente diferente, a violência está batendo na porta, isto é, quando não está dentro de casa. Abrimos os jornais, as revistas, ligamos a TV e lá está o noticiário nos bombardeando com informações sobre violência. Dificilmente temos uma noticia que nos traga alguma coisa de positivo.  A novela que antes tinha sua simplicidade hoje retrata as tendências do momento, homossexualismo, traição, e tudo que a maioria do povo vive na vida real. Você já parou pra pensar nisso?

(a) J Araújo

24 de agosto de 2013

>Contemplando o por do sol

De férias resolvi eu mais dois amigos ir passar uns dias no sítio às margens do complexo de represa do Rio Grande na Região de Mira Estrela, SP. Ficamos uma semana, sozinhos, eu pilotando o fogão, mas também pescando. E vi como é bom poder apreciar o por do sol. Acredito que somos privilegiados em viver em um País cheio de belezas naturais. E, ao olhar este espetáculo da natureza, o que nos restam é agradecer a Deus por tudo isso. Nós como seres humanos imperfeitos, que somos, procuremos nos aperfeiçoar diante da presença do Criador e agradecer cada dia de vida que ele nos proporciona. E não esqueçamos que mesmo aqueles, acreditando ou não no Criador o sol nasce e se põe para todos sem distinção. 

(a) J Araújo

16 de agosto de 2013

>A belina e as bananas

Ha alguns dias atrás dei boas risadas em um bate papo com uma sobrinha. Ela estava me contado de uma longa viagem, mais de 700 quilômetros, que fizera juntamente com o marido, sogro, cunhado e outros tudo isso em uma velha Belina cheia de furos no assoalho para chegar nas serras de minas. Essa viagem começou na região de Franca no estado de São Paulo.  Do jeito que ela conta não tem quem não dê boas risadas. Quando entraram em trechos de estradas de terra era aquele sufoco, pois a poeira invadia o interior do veículo sujando todos os seus ocupantes. A Belina era o “personagem principal” pelo seu estado de conservação, quem olhava, pela aparência, achava que aquele veículo não saia do lugar. Mas, pelo visto o motor estava em excelentes condições. Com as roupas vermelhas de poeira, quando desembarcaram todos estavam mais parecidos com trabalhadores rurais do que viajantes narizes olhos e cabelos era poeira em cada poro. 

A Belina era o “personagem principal” pelo seu estado de conservação, quem olhava, pela aparência, achava que aquele veículo não saia do lugar. Mas, pelo visto o motor estava em excelentes condições. Com as roupas vermelhas de poeira, quando desembarcaram todos estavam mais parecidos com trabalhadores rurais do que viajantes narizes olhos e cabelos era poeira em cada poro.

Depois de um bom banho era hora de aproveitar bem a viagem. Na volta, seu sogro empolgado com a fartura e, aproveitando a bondade do meu irmão que resolveu presenteá-los com vários cachos de bananas.  O visitante que era o chefe resolveu trazer de tudo um pouco. Diz que meu irmão saia pelo meio da propriedade e logo aparecia com um belo cacho de bananas e dizia se o fulano gostaria de trazer o mesmo pra cidade.  Claro, ele aceitava. Aparecia com outro mais bonito ainda ele aceitava também. Abobora mandioca e tudo que aparecia era amarrado no bagageiro da referida Belina, e olha que tudo isso sem nenhuma lona para cobrir.

Encheram o tanque de combustível da dita cuja e pegaram a estrada de volta, mais setecentos quilômetros percorridos, até chegar ao destino. Diz que por onde passava nas cidades e rodovias essa Belina chamava a atenção das pessoas pela carga inusitada. O filho sempre alertando o pai para parar em um posto e providenciar o abastecimento dizendo que o combustível do tanque não daria para completar a viagem, mas o pai insistia que não havia necessidade, até que parou de vez em um lugar quase que deserto. Lá vai o filho pedir carona para quem parasse para buscar petróleo em algum posto.  Enquanto isso a (BB) belina de banana ficou parada no acostamento enquanto seus ocupantes do lado de fora via o vai e vem de veículos. E ela, claro, era a atração da rodovia.

No mínimo teve gente que pensou assim: Coitada dessa família! Resolveu mudar pra cidade mais não se esqueceram de trazer um pouco da produção.
(a) J Araújo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...