.


7 de abril de 2017

A insignificância do homem diante da natureza

Imagens: Arquivo pessoal
Imagens: Arquivo pessoal
Tem uma frase que diz: "Não cai uma folha sem a permissão de Deus". O texto não é bíblico, porém, é usado muitas vezes como se fosse, mas, tem lá suas razões! O ser humano é tão insignificante diante do universo. Ao olharmos a grandeza que existe ao nosso redor devemos sentir privilegiados, apesar de ser o menor entre tudo isso, o homem foi o único ser escolhido por Deus para desfrutar de tudo o que eLe criou e, ainda, deixou que o homem dominasse sobre todas as demais criaturas. 

O ser humano é tão insignificante diante do universo. Ao olharmos a grandeza que existe ao nosso redor devemos sentir privilegiados, apesar de ser o menor entre tudo isso, o homem foi o único ser escolhido por Deus para desfrutar de tudo o que eLe criou e, ainda, deixou que o homem dominasse sobre todas as demais criaturas.

Deus fez os animais selvagens de acordo com as suas espécies, aqui se derruba a teoria da evolução, aquela história que o homem provém do macaco, que sempre nos ensinaram na escola. Criou Deus, os rebanhos domésticos de acordo com as suas espécies, e os demais seres vivos da terra de acordo com as suas espécies. E Deus viu que ficou bom.

Então disse Deus:
Façamos o homem a nossa imagem e semelhança". Isso nos fazem pensar que Deus não estava sozinho. Jesus estava com Deus e era Deus. Ele disse: “Conforme a nossa semelhança e que domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais grandes de toda a terra e sobre todos os pequenos animais que se movem rente ao chão” (Gn 1.26)

A ideia de que Jesus estava com Deus, pode ser confirmada no evangelho de João 1.1-3, quando diz que: "No principio era aquele que é a Palavra, eLe estava com Deus, e era Deus. Ele estava com Deus no principio (podemos dizer: na criação). Todas as coisas foram feitas por intermédio d’Ele sem eLe, nada do que existe teria sido feito"

Diante de todo esse poder, a Palavra de Deus nos adverte:

Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis; porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e os seus corações insensatos se obscureceram”. (Rm 1.20-21)
(a) J Araújo

Um comentário:

  1. De louvar como a Natureza sempre aperfeiçoa o seu poder de se reconstruir... recomeçar... embelezando tudo à sua volta...
    E como o homem, faz exactamente o seu contrário... muda tudo à sua volta... destruindo as obras do criador... o meio ambiente... as vidas dos seus semelhantes, se tal lhe for proveitoso... só para sentir, que tem poder... numa lógica em absoluto sentido contrário às leis da Natureza...
    Quando Deus criou o homem... esqueceu-se de acrescentar uma etiquetazinha dizendo... "Artigo com defeito" Visto os humanos, não serem portadores de muita humanidade... até aos dias de hoje... infelizmente!
    Gostei imenso do texto, escrito à luz das duas palavras de fé, J.Araújo!
    Por aqui... também, de uma semana para a outra... de repente... tudo por aqui, também "enverdeceu"... :-D
    Folhas surgiram... num repente... também na minha varanda... onde me nasceu um plátano, sem o ter plantado...
    Um grande abraço! Boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog.

Este espaço presa pelo respeito às diversidades, porém, se mantém o direito de não publicar opiniões que venham a ofender a honra de qualquer pessoa.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O blog, Serra de Minas, poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...