.


Mostrando postagens com marcador Cidadania. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cidadania. Mostrar todas as postagens

10 de outubro de 2017

Uma mesa farta e a discriminação por causa da idade


Por J Araújo
Interessante, recebi  este convite em meu e-mail pelo fato de já ter participado de um curso nessa mesma organização em 2012 . Somente se esqueceram de que eu tenho mais que o dobro da idade máxima permitida para participar do curso que eles estão oferecendo. Por sinal, muito bom o curso. Este mesmo curso foi oferecido na cidade de Campinas, SP, e como era próximo da minha casa resolvi fazer minha inscrição.

No entanto, a pessoa que fez minha, talvez por respeito, pela minha idade na época, quase sessenta anos, não tinha o direito de participar e aprender mais nada. Sem malicia nenhuma no dia indicado para o inicio do referido curso, cheguei bastante animado para o primeiro contato com a turma. Para minha surpresa, eu era o "vovô" daquela turma de jovens. Havia uma mesa farta de café da manhã que estava ali à disposição dos participantes, tudo gratuito, depois do café um dos diretores disse que minha idade não permitiria minha participação naquela atividade.

Naquele momento me senti realmente um velho sem valor nenhum, discriminado por causa da idade que estava chegando, e olham que ainda não tinha completado os 60 anos. Contudo acho que por dó, “respeito”, sabe lá o que ele disse que ia abrir uma exceção e me deixar continuar no grupo. Comecei um tanto chateado, mas depois vi que deveria me entrosar, tenho essa facilidade, com os jovens e foi maravilhosa aquela semana de estudos. Na época escrevi um texto contando, essa que considero uma aventura em saber e sentir como se sente os idosos no Brasil.

Ao termino produzimos um audiovisual em um asilo por minha sugestão. Entrei em contato com a direção e ficamos durante três dias frequentando aquele local que serviu como cenário para nossa produção. Todos os personagens envolvidos são moradores daquela instituição.  Deixa-me aprender!

4 de agosto de 2017

Frutos da imaginação

As redes sociais é um excelente meio de comunicação uma maneira fácil e rápida de espalhar noticia, boas ou ruins, verdadeiras ou falsas. O que acontece é que a maioria das pessoas ainda não se conscientizaram do mal que pode estar causando compartilhando tudo que chega em suas redes sociais, sem antes checarem. Não é difícil saber se uma noticia é verdadeira OU falsa. 

Temos sites nada confiáveis que inventam noticias e publicam em suas páginas, assim como temos, também, sites especializados em desmentir tais noticias e um destes é o E-farsas, onde você pode checar a informação, podemos desconfiar de informação que não sai em jornais ou revistas de prestigio que somente publica uma notícia depois de checarem através de fontes confiáveis. Temos ainda o boatos.org que também se dedica a esclarecer as falsas notícias.  Está dada a dica. 

ü Boato na rede

Há alguns dias surgiu uma foto de um carro no estacionamento de um shopping da cidade de Campinas, SP, com as rodas travadas, isso deu o que falar. A imagem publicada nas redes sociais teve centenas de compartilhamentos e acabou gerando a conclusão dos internautas de que o motorista teria estacionado em vaga reservada, sem ser idoso ou deficiente físico.

Internautas postaram comentários como: “Está mesmo na hora de acabar com essa pouca vergonha”. “Não adianta reclamar e colocar a culpa sempre no governo e não fazer o correto”. Outra foto mostra um recado deixado no para-brisa do veiculo, o que gerou mais furor.

ü Esta é a verdade!
A administração do Parque Dom Pedro Shopping esclareceu que, na tarde do dia 19 de julho, um cliente procurou a segurança para informar a perda das chaves do seu carro. Por uma questão de segurança a equipe travou as rodas do veiculo, pois havia o risco remoto de alguém encontrar as chaves e dar partida no carro. 

Ainda segundo a administração do empreendimento, o comunicado deixado no para-brisa tinha como objetivo instruir o cliente em seu retorno entrar em contato com a Central de Segurança. As chaves foram encontradas, a trava liberada, e o proprietário retirou o veiculo. As conclusões veiculadas nas redes sociais, portanto, foram frutos da imaginação.


Fonte: AAN

16 de setembro de 2016

>Os políticos e as fraldas

O florista foi ao barbeiro para cortar seu cabelo. Após o corte perguntou ao barbeiro o valor do serviço e o barbeiro respondeu:
 - Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana. O florista ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um buquê com uma dúzia de rosas na porta e uma nota de agradecimento do florista.
Mais tarde no mesmo dia veio um padeiro para cortar o cabelo. Após o corte, ao pagar, o barbeiro disse:
 - Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana. O padeiro ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um cesto com pães e doces na porta e uma nota de agradecimento do padeiro.
Naquele terceiro dia/  veio um vereador para um corte de cabelo.
Novamente, ao pedir para pagar, o barbeiro disse:
 - Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana. O vereador ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, quando o barbeiro veio abrir sua barbearia, havia uma dúzia de vereadores fazendo fila para cortar cabelo.
Essa é a diferença entre os cidadãos e os políticos. "Os políticos e as fraldas devem ser trocados frequentemente e pela mesma razão."
(a) Eça de Queirós

Vamos compartilhar a mensagem acima, para todos os nossos contatos. A campanha é séria e precisamos mudar o país.

9 de setembro de 2016

>Políticos fazem qualquer coisa para se eleger

A eleição está se aproximando, para escolha dos prefeitos e vereadores em todo Brasil. Na verdade a maioria dos candidatos tenta a reeleição e, aqueles que não pode concorrer, no caso dos prefeitos, por estar no segundo mandato indica seu sucessor. Chegou o horário eleitoral... Ah! Sabe aquele político que você, sem querer, bem na hora da novela 'invadiu' sua casa sem a sua permissão e, ainda por cima pede seu voto.

Por que o horário eleitoral gratuito, claro, pra eles. É obrigatório assim como o voto. Talvez você já tenha ouvido no rádio e visto no jornal, mas nunca teve a oportunidade de falar com ele pessoalmente, mesmo que já tenha tentado procurá-lo em seu gabinete por varias vezes.

Pois é, você nunca o encontrava em seu gabinete, ou quando encontrava não podia atender. Estava sempre muito ocupado ou participando de uma reunião não é verdade? Quando muito era atendido (a) por um assessor lembra? Agora os senhores podem ficar tranquilos! Ele pode pintar ai na sua rua a qualquer momento; quem sabe, bater na sua porta bem na hora do almoço e ainda cerrar sua boia. Eles são cara de pau mesmo! Se a mistura for ovo frito, não tem problema, ele vai dizer que é o melhor que ele já comeu em toda sua vida.

Os políticos, por causa do voto encaram qualquer coisa sem a menor cerimônia. Como a maioria é cara de pau. Você trabalhador, se faltar ao trabalho tem o dia descontado. Eles trabalham de terça a quinta-feira, com todas as mordomias. O trabalhador comum espera um ano para ter 30 dias de férias. Eles têm férias, recesso, recesso, carnaval, etc.

Não se preocupe com o cardápio! Ele vai atrás mesmo é do seu voto e vai prometer melhorar sua vida de uma vez por todas. Seu filho que gosta de bater uma bola, e acaba de chegar daquele jogo de futebol – (o menino quer, por que quer ser famoso um dia) - naquele campinho de terra que a gente chama de raspadão. Seu filho chega todo sujo de barro - estava chovendo - e a senhora toda envergonhada. Sabe aquele outro pirralho que está lá no quintal brincando na terra todo sujo enquanto a senhora prepara o almoço?

Na labuta a senhora não teve tempo de trocar as fraldas do pimpolho, por isso ele está cheirado mal, o candidato vai pegá-lo no colo e pode ate dizer: - Que coisinha mais fofa e cheirosa... Não tem problema, aquele que chegou do campo vai receber um abraço e naquele raspadão que o garoto jogava, o candidato promete construir um complexo esportivo com os equipamentos mais modernos se eleito for.


Ele pode tudo se ganhar as eleições. Em ano eleitoral pra tudo há solução. Os problemas da saúde, educação, segurança e emprego serão todos resolvidos. Ele vai dizer que não foi feito por que não houve vontade política, com ele eleito vai ser diferente. Vai acabar culpando as administrações anteriores por não ter feito. Eles dificilmente perdem mesmo. Quando perde as eleições, a maioria deles faz acordos espúrios para continuar sugando os cofres públicos. E o coitado do povo vai continuar sempre pagando o pato.

Não somente o pato, mas a galinha, o peru, o faisão e outras tantas penosas que é até difícil enumerá-las. Estejam preparados, para essas investidas, e mostre seu descontentamento contra os maus políticos que infestam os poderes neste país. Diga não! Não a tudo de podre. Porém não é deixando de votar que você vai resolver isso – muito pelo contrário - mas sim, votando e alijando da vida pública todos aqueles que fizeram de você um revoltado, não com a política, mas, com os políticos, infelizmente, pensa em si próprio a maioria.

Sua munição é simples, somente um ‘tiro’ Saque-a. Essa arma poderosa que você tem é o título de eleitor. Vamos usar essa arma para matá-los no ninho e enterrá-los politicamente com o nosso voto. Com certeza não é pecado nenhum. Você e todos nós vamos colaborar com a moralização da política em nossa cidade, nosso Estado e consequentemente com nosso país.


Aqui na cidade tem uma candidata a prefeita que está dizendo em sua propaganda eleitoral que vai decretar a passagem de ônibus a R$ 1,00 se for eleita. Não sei como ela vai fazer isso. A passagem hoje custa R$ 3,80. São promessas demagógicas, mesmo se ela ganhasse a eleição jamais seria cumprida tal promessa.
(a) J Araújo

8 de maio de 2015

>Finalmente a lei do pancadão

Imagem da web
Os loucos por sons automotivos não se importam em estacionar seus carros - ou mesmo transitando pelas ruas da cidade - com suas potentes caixas no mais alto volume pouco preocupando se as pessoas, que ouvem obrigadas, gostam ou não do gênero escolhido por elas, na maioria das vezes são letras de gosto duvidoso, o chamado 'pancadão'.

Depois de anos de reclamações dos munícipes, finalmente, Luiz Carlos Rossini (PV), um dos trinta e três vereadores da Câmara Municipal de Campinas, SP apresentou um projeto de lei regulamentando o uso de sons automotivos em logradouros público com a aplicação de multas para aqueles que desobedecerem ao que ficou conhecida como a "Lei do Pancadão".

Hoje a população conta com a atuação efetiva da Guarda Municipal, através do telefone 153 para denunciar o desrespeito à lei existente no município. Com isso o cidadão ao se sentir incomodado com o barulho ensurdecedor pode acionar a corporação 24 horas.

A (GMC) Guarda Municipal de Campinas, equipada com medidor de decibéis uma equipe desloca para onde partiu a denúncia, faz a apreensão do carro, aplica uma multa no valor atual de R$ 1.400, mais o serviço de guincho, mais as diárias no pátio de recolhimento. Em caso de reincidência o valor será o dobro, numa terceira vez quadruplica esse valor.

Em menos de três meses em que a lei entrou em vigor, fevereiro de 2015, mais de 120 veículos já foram apreendidos. O que a população espera é que a fiscalização não afrouxe enquanto existirem aqueles que não respeitam os ouvidos alheios.

(a) J Araújo


27 de maio de 2013

>Asilo ou casa de repouso

Asilo ou Casa de Repouso?! Como é a vida de um idoso em uma instituição? E a família? “Toque de Vida” aborda o tema do ponto de vista do idoso. Muitos preferem viver em uma instituição, não apenas porque tem problemas pessoais ou familiares, escolheram viver ali porque é onde encontram um sentido a mais na vida. Entrevistei aqueles idosos e me coloquei no lugar de cada um, até porque naquele ano estava também me aproximando da terceira idade.
Muito se fala do idoso no Brasil, agora a moda é falar da terceira, não sei quem inventou. Antigamente se falava velho mesmo. Chamar de idoso já era chique, depois inventaram essa tal de terceira idade.  E a regra diz que se entra na terceira idade aos 60 anos. Então se é assim, a primeira idade é aos vintes anos. Como já está provado pela ciência o homem, está vivendo cada vez mais, antes morria, geralmente antes dos sessenta anos.

E muitos filhos, hoje em dia, preferem deixar os pais em alguma instituição do que cuidar dos mesmos na hora em que ficam velho e cada vez mais dependentes.  Alguns por conta própria preferem se auto-isolar, antes mesmos de ser levados.  Refletindo sobre isso, em 2012, participei de uma oficina de cinema desenvolvida pela Kinoforum, para conclusão do curso cada equipe deveria produzir um vídeo. Minha equipe resolveu mostrar esta realidade,  a proposta que fiz foi procurar uma instituição,  achei o Lar dos Velhinhos, como cenário.

Tivemos uma grande acolhida dos diretores e fusionários nos três dias que passamos lá dentro.

Nós da equipe de produção, procuramos misturar um pouco de ficção e realidade. A parte fictícia da história é quando é mostrada a imensidão da cidade, em seguida a personagem levanta da cama. No passado foi uma grande pianista que encantava plateias e hoje vive em um asilo sem ninguém da família, em seus sonhos toca para pessoas invisíveis, que na verdade só existe em seus pensamentos.

Vamos ao filme, assista aqui!!

Gênero: Documentário
Diretor: J. Araújo, Leandro Scarazzatti, Diana Lamarca, Matheus de Souza, Rafael Silva Carmelo.
Roteiro: J. Araújo, Leandro Scarazzatti, Diana Lamarca, Matheus de Souza, Rafael Silva Carmelo.
Montagem: J. Araújo, Leandro Scarazzatti, Diana Lamarca, Matheus de Souza, Rafael Silva Carmelo.
Produção: J. Araújo, Leandro Scarazzatti, Diana Lamarca, Matheus de Souza, Rafael Silva Carmelo.
Som direto: Leandro Scarazzatti
Câmera: J. Araújo, Leandro Scarazzatti, Diana Lamarca, Matheus de Souza, Rafael Silva Carmelo.
Restrição: livre

Ps:  *Todas as entrevistas foram feitas por mim
(a) J Araújo

24 de dezembro de 2009

>Educação no trânsito

Arquivo pessoalEnquanto em grande parte do país o pedestre é desrespeitado em seu direito de caminhar com segurança, aqui o que se vê é um grande respeito por parte dos condutores. Por incrível que pareça, até as motos param. Isso acontece em Viçosa, MG, uma cidade encrustrada na Zona da Mata o que deveria, com certeza, servir de exemplo para todo Brasil.
Veja o vídeo:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...